Costuma-se dizer que uma pessoa não é realmente nascida até que a vida a atinja. Até que ela aprenda a ser forte. As adversidades são fontes poderosas de aprendizado. Períodos em que realmente descobrimos o que nos identifica e por que vale a pena lutar.

No entanto, devemos também saber que a felicidade e os momentos de bem-estar são etapas em que expandimos o conhecimento.

No entanto, algo que é claro para nós é que cada pessoa carrega um mapa de experiências. Com uma mochila que ninguém vê, mas isso está aí. Cheio de momentos sombrios, luzes, lágrimas e bagagens para levar para sempre nas costas.

O que nos fez fortes nos fez sábios. Embora saibamos que a sabedoria veio, às vezes, da mão da dor.

Você nasceu para ser forte: descubra por que

O ser humano é muito mais forte do que parece. O cérebro está programado para sobreviver, nosso código genético nos predispõe a aprender com a adversidade.

Isso explica, de alguma forma, por que é tão difícil para nós “sermos felizes”. Nosso cérebro não acha útil a idria de felicidade, porque a chave para a sobrevivência é poder reagir ao perigo, ameaça ou perda.

A felicidade só é alcançada quando somos capazes de superar a tempestade. O ser humano avançou ao longo de sua história, derrubando obstáculos e dificuldades. Este é, em essência, o aprendizado que conta e que nos permite alcançar o verdadeiro bem-estar.

Nós nascemos mais fortes do que pensamos, no entanto, muitas vezes não estamos cientes disso.

Sua história pessoal: a marca de uma infância traumática

Por trás de cada pessoa há sempre algum fato dramático: uma perda, um fracasso emocional, uma decepção, uma violação da nossa pessoa …

Caso você tenha experimentado algum desses fatos na infância, é muito possível que o trauma nos acompanhe para sempre. A dor não é esquecida, mas aprendemos a viver com ela.

Uma criança não tem recursos psicológicos para lidar com a adversidade, por isso afetará significativamente seu desenvolvimento e personalidade.

No entanto, como o neurologista e psiquiatra Boris Cyrulnik nos explica, uma infância traumática não implica viver uma maturidade traumática. Temos que ser capazes de enfrentar esses fatos e podemos fazê-lo.

Nós podemos nos recuperar. Enquanto essa criança tiver apoio e ajuda subsequentes, ele poderá voltar ao mundo com equilíbrio e confiança.

Todos nós merecemos ser amados, todos nós merecemos ser felizes novamente.

A resiliência e a força em você

Não podemos esquecer que a palavra “resiliência” vem da física. É a qualidade dos materiais que, quando recebem um efeito destrutivo ou tentam modificá-los, lhes permite recuperar sua forma original.

No entanto, quando as pessoas sofrem danos emocionais, não somos os mesmos novamente. Normalmente, quando nos transformamos em alguém diferente, neste caso, nos tornamos uma pessoa mais forte.

Este processo é chamado de fato resiliência. Nosso cérebro, como indicamos no início, “está programado” para lidar com a adversidade. Ele quer que a gente avance, sobreviva, aprenda do medo e da dificuldade de seguir em frente.

Por que às vezes não entendemos? Pode ser devido a estas três razões:

. Nossa educação e nossa genética.
. O contexto social que nos rodeia.
. Não ter as estratégias psicológicas apropriadas.

A resiliência é aprendida

Existem aqueles que sabem como enfrentar os golpes de suas vidas. Algumas pessoas parecem ser capazes de concentrar as coisas com mais conforto. Pode ser por natureza ou por experiência: a resiliência pode ser treinada.

Para conseguir isso, oferecemos três verbalizações que podemos fazer diariamente e que, sem dúvida, podem nos ajudar:

. Eu tenho a capacidade de enfrentar dificuldades. Eu tenho alguns valores, regras de conduta, auto-estima e pessoas que me amam.
. Eu sou uma pessoa que acredita na esperança e que tem fé em si mesmo.
. Eu posso resolver problemas, comunicar, defender-me, ter bons relacionamentos e lutar pela minha felicidade.

Existem três estratégias simples que podem “modelar” nosso cérebro para nos dar força, coragem e esse pilar indispensável que nos ajudará a caminhar pela vida: resiliência.

Fonte indicada: Mejor con salud, artigo de Valeria Sabater
Imagem de capa: Pexels

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here