Você faz parte daquele grupo de pessoas que, ao conhecer alguém, já sabe se vai gostar desse alguém ou não, independentemente de fatores externos? Esse sentimento, que muita gente encara com estranheza, e que o dicionário define como intuição, pode ser uma forma elevada de inteligência, de acordo com artigo publicado na Forbes pelo escritor Bruce Kasanoff.

Para defender sua teoria, Bruce Kasanoff cita conceitos desenvolvidos pelo pesquisador Gerd Gigerenzer, diretor no Max Planck Institute for Human Development e autor do livro Gut Feelings: The Intelligence of the Unconscious (“Intuição: a inteligência do inconsciente“).

“Se tudo o que você fizer for sentar em uma cadeira e confiar na sua intuição, você não estará exercitando muito a inteligência. Mas, se você mergulhar fundo em um assunto e estudar inúmeras possibilidades, estará exercitando a inteligência quando seu instinto lhe disser o que é – ou não é – importante“, explica.

Um dos exemplos fornecidos pelo escritor sobre como essa inteligência se manifesta é a maneira como os sites são organizados atualmente. Segundo ele, o design intuitivo emergiu após anos de caos online e atualmente qualquer pessoa que estude webdesign saberá notar intuitivamente quais são os pontos mais importantes a se destacar em cada página.

Ao final da reflexão, Bruce conclui que “pessoas inteligentes ouvem esses sentimentos. E as pessoas mais inteligentes entre nós – aquelas que dão grandes saltos intelectuais à frente – não poderiam fazer isso sem aproveitar o poder da intuição”.

***

Destaques Psicologias do Brasil. Com informações de Hypeness.
Imagem de StockSnap por Pixabay

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here