Quem nunca guardou na memória um argumento em que perdeu a calma? Emoções te superaram e não conseguiu defender seus argumentos de maneira mais efetiva e construtiva. E isso foi deixado para a memória como algo que não poderia ser resolvido da maneira certa.

Hoje, em nosso espaço, propomos aplicar essas 5 estratégias para controlar ao máximo suas emoções. Dessa forma, você pode mudar as discussões para superar esses momentos de maneira construtiva. Continue lendo!

Discutir ou não discutir

Saber discutir – se não houver outra opção a não ser fazê-lo – não é algo simples ou uma prática que todos saibam realizar. Muitas vezes se diz que dois não discutem se não querem.

No entanto, há instantes em nossa vida pessoal e profissional, onde não há outra saída senão iniciar este complexo diálogo onde há muitas críticas, versões confrontadas e pequenas tensões.

No entanto, é necessário saber como fazê-lo bem, com inteligência e temperança. E, acima de tudo, sem perder a calma para poder dispor de uma mente clara. Com isso, usaremos bons argumentos e estratégias apropriadas para obter sucesso.

5 chaves para ficar calmo ao discutir

1. Conheça a si mesmo

Em primeiro lugar, conhecer os outros é uma sabedoria, mas conhecer a si mesmo é uma iluminação. Agora, mas por que é necessário que eu me conheça para discutir efetivamente?

. Para manter a calma, devemos trabalhar em nossas forças internas, nossa segurança e nossa autoestima.

. Talvez alguém caia em desqualificação dizendo coisas como “que você é incompetente ou que você tem muito ego”. Mas nada disso deve afetá-lo porque você já sabe como você é. Portanto, o que não é verdade não tem que ferir você.

. Para superar um argumento com sucesso, é preferível que conheçamos os pontos fracos da outra pessoa.

. Sabendo, por exemplo, que a pessoa à minha frente tem baixa autoestima ou é alguém que transforma sua insegurança em agressividade, nos permitirá estar mais relaxados, mais seguros de nós mesmos.

O conhecimento de saber como nos conectar com nós mesmos e com quem temos diante de nós é fundamental. Isso nos dá mais controle sobre a situação.

2. Em cada discussão, desligue suas emoções negativas

Se você quiser manter a calma em uma discussão, deve aprender a controlar suas emoções negativas. A raiva, o orgulho, o desrespeito, a raiva, o nervosismo … Tudo isso são emoções que nos colocam na defensiva.

Chega uma hora em que já estamos no “modo de ataque” e é assim que se perde o controle. Nesse momento, paramos de argumentar de uma maneira lógica por causa das censuras e daqueles diálogos ríspidos em que nada é alcançado.

Para tomar conta dessa situação, faça o seguinte:

. Visualize-se fora de você. Você está olhando para essa discussão de fora calmamente.

. Então, perceba como nada pode ferir você aí, você é bom consigo mesmo, abraçando sua autoestima.

. Agora pense em qual argumento você pode dar para que essa situação se concretize.

3. Não responda imediatamente, dê tempo a si mesmo

Nas discussões em que nada é alcançado, os interlocutores não escutam. Além disso, as perguntas são sobrepostas nas respostas. E, em breve, comentários envenenados, críticas não construtivas e frases que lamentamos mais tarde são lançadas.

De que serve levar adiante esse tipo de comportamento? De nada.

. Assim, e para dar forma a uma discussão produtiva, onde podemos sempre manter a calma, é altamente recomendável que tomemos nosso tempo para responder. Não tenha pressa.

. Ouça atentamente o que a outra pessoa está dizendo. Então, analise.

. Regule o impacto que isso pode ter para você e depois pense em uma resposta. No entanto, lembre-se de que essa resposta não pode aumentar ainda mais a tensão.

Por outro lado, se percebermos que essa discussão não nos leva a lugar nenhum e serve apenas para usar a reprovação e as emoções negativas, acabe com ela. Não esqueça que há discussões que não valem a pena.

4. Respire fundo

Quando estamos alertas, quando mantemos uma discussão, nosso cérebro interpreta isso quase como uma ameaça. É quando uma série de reações são desencadeadas: palpitações, tremores, falta de ar, boca seca, dor de estômago …

Nesses momentos, e para permanecer calmo no meio de uma discussão, nada melhor que controlar nossa respiração. Para isso, será útil respirar fundo e expirar com facilidade. Além disso, um corpo mais quieto raciocina melhor.

5. Treine sua calma interior: prepare-se para os desafios diários da vida

Nosso dia a dia exige muito de nós: que discutamos efetivamente, que enfrentamos frustrações, críticas e, em essência, pequenas adversidades da vida.

Estar preparado “por dentro” nos ajudará a enfrentar melhor os desafios que ocorrem no exterior. Para isso, será muito útil implementar as seguintes atividades:

. Pratique a atenção plena.

. Pratique algum esporte.

. Canalize suas emoções através de algum exercício artístico: escrever, pintar …

. Cultive seu interior: melhore sua segurança, sua autoestima, trabalhe em seus valores.

. Pratique o diálogo ativo e assertivo, aumente seu vocabulário. Trabalhe em sua heurística, nas estratégias que você pode usar em qualquer diálogo e que permita que você se sinta seguro e relaxado.

Por fim, não hesite em colocar essas dicas simples em prática. Estamos confiantes de que da próxima vez que você não tiver escolha a não ser iniciar uma discussão, você a enfrentará de forma mais eficaz e competente.

Artigo extraído e traduzido do site Mejor Con Salúd
Imagem de capa: Pexels

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here