Há pessoas que surpreendem a sua serenidade antes de qualquer evento. Eles são aquelas pessoas emocionalmente equilibradas. No entanto, outras são caracterizadas porque sentem que são incapazes de lidar com suas emoções. Os últimos estão sobrecarregados e consideram que estão preparados para responder aos eventos apresentados.

Encontrar equilíbrio emocional não precisa ser um trabalho árduo. Nós simplesmente precisamos fazer pequenas mudanças internas que nos ajudarão a aceitar e controlar nossas emoções de maneira mais eficaz. Vamos ver abaixo quais são os 5 hábitos que as pessoas emocionalmente equilibradas mantêm e podem nos ajudar a administrar nossas emoções.

1. Em vez de reagir, elas respondem

Pessoas emocionalmente equilibradas param por um momento para pensar e controlar o turbilhão de emoções que se desdobram dentro delas. Eles se desconectam e assumem a perspectiva da situação. Desta forma, favorece uma resposta adequada, menos intensa e mais precisa do que o impulso de uma reação emocional inicial.

Você deve sempre ter uma cabeça fria, coração quente e mão longa, disse Confúcio. Uma reação quente nos faz controlar nossas emoções e explodir nossos impulsos, de modo que não seremos nós mesmos se agirmos naquele momento.

Se depois de ter enfrentado uma situação ou uma pessoa que você se sente mal, isso significa que você reagiu às suas emoções, o que é radicalmente diferente de responder a elas. Responder às suas emoções fará com que você sinta que lidou com a situação com integridade e respeito. Quando somos nós que administramos nossas emoções em vez deles, teremos subido um passo para alcançar um equilíbrio emocional saudável.

2. Elas honram a realidade de suas emoções

Imagine que você está enfrentando um divórcio ou separação, que você foi expulso do trabalho ou que alguém próximo a você deixou para não retornar. Como você se sentiria? Naturalmente você se sentiria muito triste, muito nervoso ou com medo da incerteza. Por que lutar contra isso?

Pessoas precisamente emocionalmente equilibradas não lutam contra suas emoções, mas permanecem ao seu lado ouvindo-as. Ou seja, eles entendem que o que sentem é parte de eventos e que a tristeza cumpre sua função. Por causa disso, eles deixam seus pensamentos fluírem e desencorajam suas emoções. Esse modo de administrar o interior de si mesmo facilita que uma pessoa não seja aprisionada por seus estados aflitivos. Desta forma, eles não param o seu futuro ou destroem o seu passado.

Não aceitar nossas emoções com normalidade gera que elas tomem significados negativos e que elas estejam ligadas às nossas histórias.

3. Elas olham para dentro e simpatizam com “seus eus autênticos” de uma maneira sincera

Pessoas emocionalmente equilibradas fazem algo que a maioria de nós, seres humanos, não leva a sério: elas refletem sobre o que realmente faz com que elas se sintam bem. Ao mesmo tempo, eles pensam em como podem gerar pequenos prazeres constantemente. Mesmo assim, esse tipo de gente sabe que os maiores prazeres residem no interior. Buscar a felicidade é caminhar na direção errada, porque o externo é efêmero e mutante.

Escrever uma lista grande de todas as coisas que nos fazem sentir bem é um grande ato de amor para consigo mesmo. Claro, é inútil fazer essa lista e depois não colocá-la em prática. Pelo menos devemos realizar uma dessas ações por dia. Embora a verdadeira felicidade esteja em cada um de nós, não é incompatível com a realização dessas pequenas atividades que nos fazem sentir bem.

Praticar o amor-próprio nos dá grande poder, porque não depender de outros para nos sentirmos bem nos faz sentir o que queremos sentir o tempo todo.

4. Elas se movem para limpar a mente

Quando nos sentimos tristes, estressados ​​ou ansiosos, não podemos sair da cabeça e do turbilhão de sentimentos que nos vem. Uma maneira de nos reconectarmos com nós mesmos é o movimento. Realizar o exercício físico é uma ótima maneira de limpar a mente. Através do movimento, podemos encontrar a calma que precisamos. Permanecer em uma atitude sedentária só beneficiará nossa mente de voltar aos mesmos pensamentos repetidas vezes.

Mover-se e ser ativo facilita a tomada de perspectiva, agita nossos nervos e nos faz sentir vivos. É algo que não estamos acostumados e que provavelmente nos faz sentir estranhos. Por exemplo, dançar ao som da nossa música favorita é uma ótima maneira de cuidar do nosso bem-estar emocional.

5. A gratidão é sempre um requisito indispensável no dia a dia

Praticar gratidão e gratidão é tremendamente benéfico para nosso equilíbrio emocional, pois nos treina a buscar o positivo e o aprendizado em cada situação. Estamos acostumados a ter tudo – ou quase tudo – de que precisamos. Nós somos afortunados e nós não sabemos. Abrimos a geladeira e encontramos comida. Nós pressionamos um interruptor e a luz é “feita”. Apreciar tudo o que temos é uma maneira de perceber quão privilegiados somos.

Para cultivar a gratidão, podemos tentar compartilhar com as pessoas ao nosso redor três coisas pelas quais somos gratos a cada dia. Simplesmente consiste em trazer à nossa mente aspectos positivos do nosso dia-a-dia para perceber que existem coisas que nos fazem sentir realmente bem.

Cuidar do nosso bem-estar emocional nos faz sentir verdadeiramente bem e aproveitar ao máximo nossas vidas. Sentindo-nos emocionalmente equilibrados, podemos nos concentrar em nossos sonhos, trabalhar em nossas expectativas e nos sentir conectados a nós mesmos. Desta forma, seremos muito mais produtivos e tomaremos mais e melhores decisões, o que resultará em melhor saúde psicológica e física.

Fonte indicada: La mente es maravillosa
Imagem de capa: PEXELS

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

1 COMENTÁRIO

  1. Maravilhoso se pudéssemos por em prática a teoria psicologicamente perfeita para gregos e troianos. Se, por exemplo, dirigindo o carro com nosso bebê na cadeirinha, fossemos abordados pelo ladrão armado que nos obrigasse a sair, entregando tudo e deixando a criança no carro que ele vai levar com bebê e tudo, como manter o equilíbrio nessa hora; ou quando o velho pai cai aos nossos pés fatalizado por um AVC e estamos sozinhos, em local ermo, sem acesso ao celular? Inteligências artificiais, nos indicariam como atuar sem desgastes e/ou maiores danos, pensando para agir sem erro e mantendo absoluta calma, mas impossível não tremer, chorar e gritar quando o chão se abre aos nossos pés e não existe apoio para não despencar. Para o nosso próprio bem, o equilíbrio é fundamental sempre; mas infelizmente para o nosso próprio mal, não decoramos as senhas que asserenam o coração quando ele se destrambelha, nem para continuar carregando nossa cruz pesada, quando mais cruzes se lhe acrescentam. Claro, situações adversas são os desafios imprescindíveis que nos identificam como desertores ou heróis, todos passam pelo sufoco de escolher entre fugir ou lutar. No entanto, nem sempre temos força, aptidão, capacidade, perícia e auto domínio para sair da fogueira ileso, carregando sobreviventes, caminhando sem pressa e cantando a canção predileta, sem uma queixa sequer, de bem com a vida, “numa nice” e amando muito tudo isso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here