Às vezes, aqueles que estão em silêncio em face de críticas, inveja ou provocação não são devido à falta de argumentos ou coragem. O que acontece é que quando a ignorância fala, a inteligência para, ri e se afasta.

Agora, todos nós sabemos que permanecer calmo e temperado diante de críticas ou críticas não é exatamente fácil. De acordo com um estudo publicado na revista “USA Today”, 70% das pessoas se sentem magoadas antes de uma crítica, 20% a enfrentam e a rejeitam com raiva, e apenas 10% refletem sobre ela e deixam passar quando ela não responde mais que ignorância.

Quando a ignorância inveja e critica, a inteligência desliga, escuta e ri. Porque afinal, a doença do ignorante é ignorar sua própria ignorância.

Uma das razões pelas quais é tão difícil aceitarmos críticas é porque as pessoas precisam se sentir aceitas e reafirmadas. Uma reprovação é a perda desse equilíbrio pessoal sutil, girado pelo orgulho.

Agora, quando uma crítica tem como substrato a mais profunda ignorância, não há risco algum para o nosso autoconceito. Todos devemos supor que existem argumentos que não valem a pena. Quando há ouvidos que não ouvem e mentes pequenas onde as explicações não se encaixam, é melhor calar a boca, rir e soltar.

Ignorância é a semente da intolerância

Vamos começar especificando o que entendemos por ignorância. Nós não estamos falando de falta de cultura ou conhecimento. A ignorância mais pernicioso é aquele que carece de proximidade, empatia e sensibilidade para obter na pele de um ao outro e que também gosta de fazer juízos de valor carregadas com desprezo.

O mais alto nível de ignorância é praticado quando rejeitamos algo sobre o qual não sabemos nada. Mesmo sabendo que não temos dados ou informações, preferimos dedicar esforços para nos mantermos em nossa posição do que obtê-los.

Todas essas atitudes são apenas a semente da intolerância, da falta de civismo, algo que muitos de nós já experimentamos em sua própria pele.

O mais complexo é que às vezes a ignorância é praticada em nossas esferas mais próximas. Nesses pais, naquelas mães e outros parentes próximos, que julgam o resto sem saber, sem nem se importar em saber que interesses ou necessidades os outros têm. Nestes casos, esta intolerância magoa, a crítica dói e o ataque sangra.

No entanto, ao longo do tempo as feridas são bronzeadas, uma é madura e, finalmente, entende muitas coisas. Entenda que as pessoas não mudam, e quem não quis dar o passo da ignorância para o conhecimento é porque ele não quer.

Diante desses comportamentos, não resta mais nada a não ser assumir a batalha perdida e manter a dignidade que acalma nossa alma. Aquele que entende que no final é melhor ficar calado, sorrir com inteligência e pôr distância.

Quando a inteligência é forçada a reagir

Nem sempre é possível ou certo escolher o silêncio em face do desprezo e do prejuízo. Às vezes, a inteligência é forçada a reagir para defender sua integridade. Isso acontece porque às vezes é necessário elevar sua voz de maneira assertiva, segura e corajosa para deixar claro onde estão nossos limites.

Agora, vamos ver em que situações é conveniente reagir

Antes dos manipuladores

Quando a voz da ignorância atravessa a fronteira do respeito e faz uso do desprezo para se definir e adquirir poder, devemos agir. Nunca devemos permitir que um manipulador assuma.

Para fazer isso, devemos cortar seus comentários, seu desprezo e suas ironias afiadas o mais rápido possível. Deve ficar bem claro que eles nunca devem nos abordar nesses termos prejudiciais.

Antes dos humilhadores

Outro tipo de perfil que abunda em excesso são os humilhadores profissionais. Eles procuram nos humilhar tanto em público quanto em privado, porque é assim que eles adquirem poder. Às vezes, após esse comportamento, a inveja também pode existir como raiz.

O humilhador não é derrotado por humilhá-lo, nem por gritar com ele, muito menos pela violência. O que o derrota é indiferença ao descobrir que ele não tem poder sobre nós. Vamos deixar claro para você o que pensamos do seu comportamento uma vez. Faremos isso de maneira retumbante e mantendo nossos olhos, sendo muito assertivos.

Mais tarde, se ele continuar com sua atitude, mostraremos a ele que o que ele faz ou o que ele diz não nos afeta, que ele não tem influência sobre nossa pessoa.

Para concluir, todos nós sabemos que a ignorância mais prejudicial é uma semente que sempre fertilizará nossos caminhos vitais. Agora é só erva. Pense bem antes do que as batalhas merecem ser combatidas e quais não, porque o importante é nunca perder a nossa paz interior, a nossa calma.

Seja hábil, seja prudente e compreenda que mentes pequenas nunca entenderão grandes sonhos, e que há ouvidos surdos em que palavras inteligentes não se encaixam.

Tradução do artigo publicado no site lamenteesmaravillosa

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here