“O perdão é uma decisão, uma atitude, um processo e um modo de vida. É algo que oferecemos a outras pessoas e algo que aceitamos para nós mesmos”.

Não vale a pena passar pela vida orgulhoso de ser e saber o que somos, se o nosso rancor continuar a crescer mais e mais, se o comportamento de alguém continuar nos lembrando de nossos relacionamentos não curados. Qual é o uso de conhecer a nós mesmos, se usá-lo para alimentar o ódio que temos? Eu sei que é muito difícil ignorarmos a ferida que alguém nos infligiu. Mas o perdão não é esquecer, é simplesmente abandonar a ferida. Não é algo que damos aos outros, mas a nós mesmos.

Aprender a perdoar não é uma questão simples, nem um simples ato na vida de cada pessoa. Perdoar é um processo que requer coragem, alta auto-estima, amor e compreensão. Quando uma pessoa perdoa a pessoa que o prejudicou, ele se liberta da opressão e do ressentimento. A pessoa que você se recusa a perdoar não é mais infeliz, nem sofre as consequências de sua falta de perdão, ao contrário, quem mais sofre é porque você vive com um enorme fardo emocional que pesa e não faz. vamos aproveitar as coisas lindas que a sua vida tem.

E é que o perdão é essencial para gozar uma vida mais plena, é entender que somos nós quem deixamos situações ou pessoas nos afetam, é analisar as razões pelas quais reagimos de uma certa maneira ou compartilhamos rudes, arrogantes, irritados com todas as outras pessoas em nosso caminho.

Perdoar os outros é básico, mas acredite, perdoar a si mesmo nos ajuda a deixar ir, a viajar mais leve para que possamos continuar no caminho certo e com menos obstáculos para nossos objetivos, objetivos, projetos de vida e trabalho. Sem deixar de lado a coisa mais importante: que contribua para que sejamos pessoas melhores e tenhamos uma vida mais prazerosa.

Para deixar o passado, você terá que seguir em frente. Às vezes, escolhemos tanto medo em nossas vidas que se torna nossa zona de conforto e a felicidade nos assusta. Às vezes, passamos tantos dias, semanas, meses ou anos que nos concentramos no que nos acontece, que não vemos a saída para o que realmente podemos alcançar. A ideia é usar o que acontece com você como uma ponte para situações melhores, contanto que você faça um esforço para ver o caminho certo para o passado. Se você jogar pedras, use-as para fazer uma montanha e passar para o outro lado, não se concentre em esquivá-las. Se você realmente quer progredir, ser melhor e conseguir o que quer, você deve tirar a roupa de autopiedade, deixar as desculpas e culpar os outros pelo que aconteceu com você. Ninguém, mas você é o arquiteto e construtor de sua própria vida e em suas mãos você tem a solução.

Quando você perdoa, você não está fazendo a outra pessoa um favor, todo o benefício que você atrai para você. Hospedar ódio, raiva, ressentimento, ressentimento, dor e raiva em relação aos outros só trará depressão, frustração e muito bloqueio em sua vida. O infortúnio e a tristeza tomam conta de você e esses sentimentos podem até se tornar somatizados, manifestando-se como doenças. Lembre-se de que carregar tudo isso não afeta apenas sua vida, mas também todas as relações de trabalho, família, amigos sociais com quem você vive.

É suficiente lembrar que perdoar não é justificar comportamentos negativos ou inadequados, sejam eles próprios ou de terceiros. Abuso, violência, agressão, traição e desonestidade são apenas alguns dos comportamentos que podem ser totalmente inaceitáveis.

O perdão nos ensina que podemos discordar de alguém sem remover seu afeto e respeito. Leva-nos para além dos medos e mecanismos de sobrevivência do nosso condicionamento, para uma visão corajosa da verdade que nos oferece um novo campo de escolha e liberdade, onde podemos descansar de nossas lutas. Ele nos guia para onde a paz não é desconhecida e nos dá a possibilidade de saber qual é a nossa força.

Então, em suas mãos, você decide se vive no seu passado ou começa a perdoar para receber tudo o que a vida tem para você aqui e agora!

E lembre-se: sorria, agradeça e abrace sua vida!

Fonte indicada: Rincón del Tibet
Imagem de capa: Pexels

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here