Em vez de ir longe para se encontrar, fique perto e se reinvente. A pessoa que você está procurando já está dentro de você e, o que é mais importante, você pode permitir que ela surja em sua melhor versão, aquela que você escolher. Para fazer isso, você só deve se livrar de apegos, medos e convenções e iniciar uma jornada de autodescoberta, desafios e transformações.

Poucas questões no âmbito do crescimento pessoal são tão proeminentes quanto o autoconhecimento e a realização pessoal. É por isso que a maioria de nós está mais do que familiarizada com a ideia de que um dos nossos objetivos vitais deve ser, não mais ou menos do que saber quem realmente somos. Agora, assumir esta idéia ao pé da letra pode nos levar a alguma contradição.

Para começar, as pessoas não são entidades estáveis. Como seres vivos, estamos constantemente mudando e todo avanço ou variação tem o propósito de favorecer a adaptação e a aprendizagem. Assim, como sabemos, a pessoa que éramos dez anos atrás não é a mesma pessoa que sai de casa todos os dias para enfrentar o mundo, para torná-lo seu, aproveitá-lo e entendê-lo.

Você não precisa, portanto, de uma viagem ao Tibete para se encontrar. Cada um de nós se encontra todos os dias em cada pequena coisa que fazemos, em todas as conquistas, em todas as ambiguidades, em todas as paixões e aprendizados assumidos. Agora, para alcançar o verdadeiro bem-estar e auto-realização, você tem que se reinventar de vez em quando. Só então a nossa melhor versão pode ser revelada, aquela que sintoniza desejos, sonhos e necessidades.

“Examine a si mesmo e, onde quer que esteja, abandone-se. Este é o melhor caminho de todos ». -Eckhart de Hochheim-

Encontrar-se está bem, mas ouse dar um passo além

Em vez de se perguntar quem você é, faça uma pequena variação: pergunte a si mesmo o que você quer de você. Fazer isso permitirá que você esclareça os propósitos para ganhar força e se fortalecer. De certa forma, grande parte da psicologia da auto-ajuda nos lembrou da importância de nos vermos diante de um pequeno aspecto: nosso eu está mudando e é forçado a ser reconstruído de vez em quando.

Cada experiência, cada decisão tomada, uma pessoa conhecida, um livro lido, um hobby descoberto, um país visitado, etc., nos modifica. Toda a experiência deixa uma marca em nós. Não é necessário, portanto, sair para se encontrar, você já está em tudo que toca, o que vê e sente. No entanto, você tem uma responsabilidade ainda mais importante consigo mesmo: alcançar a realização pessoal.

Para conseguir isso, todos nós somos obrigados a modificar parte de nossas identidades à medida que avançamos em nosso ciclo de vida. Ao fazer isso, não apenas amadurecemos, mas nos permitimos ganhar em resiliência, auto-estima e felicidade. Além disso, não importa quantos anos tenhamos, favorecer as mudanças e nos reinventar é um exercício a ser praticado quando acreditamos que é necessário.

Reinventando-se, um segredo para a juventude eterna, de acordo com um estudo

Há alguns anos, a Dra. Ravenna Helson, professora de psicologia na Universidade da Califórnia em Berkeley, publicou um dos trabalhos mais valiosos sobre personalidade criativa. Aquele conhecido como “Estudio Mills” acompanhou 120 mulheres ao longo de 30 anos.

O objetivo foi analisar quais mudanças de personalidade foram evidenciadas ao longo de 3 décadas. Os dados foram muito reveladores. Pode-se observar que aquelas mulheres que conseguiram se reinventar (assumir novas metas, iniciar novas atividades, etc.) apresentaram taxas mais altas de bem-estar e saúde. Este grupo, de acordo com suas próprias palavras, conseguiu “conventar-se nas pessoas que sempre quiseram”.

Além disso, o ‘Mills Study’ mostrou que a faixa etária em que houve maiores mudanças na personalidade e satisfação pessoal foi entre 50 e 65 anos.

Não se preocupe em encontrar-se, procure sua melhor versão

Viktor Frankl disse que a vida não é insuportável pelas circunstâncias, mas pela falta de significado e propósito. Este é o verdadeiro segredo para encontrar felicidade e realização pessoal: ter metas, objetivos, sonhos, desejos …

A vida é movimento e, quer queiramos quer não, são as mudanças que nos ajudam a sobreviver melhor para que tudo continue a fazer sentido. Fazemos essas variações para deixar de lado o que não é mais útil, o que não nos acompanha mais, o cheiro do tempo estagnado e tira nossas asas. Uma mudança no tempo, uma reinvenção fabulosa, às vezes, até nos permite respirar melhor.

No entanto, há um aspecto sobre o qual devemos ter clareza. A tarefa de se reinventar não é fácil, requer um certo desafio e muita coragem. Além disso, algo que o Mestre Eckhart, um conhecido filósofo e teólogo do século XIV, nos disse é que as pessoas se apegam demais ao que somos ou pensamos que somos. Em liberação é plenitude, deixando de lado materialismos, medos e obsessões.

A reinvenção é um ato de liberdade, é a expressão da identidade de alguém, permitindo-nos ir além da zona de conforto para nos realizar, para alcançar o bem-estar. Pergunte a si mesmo quem você quer ser e trabalhe nessa ideia, com esse propósito.

Tradução e adaptação do original publicado no site lamenteesmaravillosa
Imagem de capa: pexels

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here