Você já deve ter ouvido falar sobre a lei da atração. De acordo com este princípio, as pessoas devem ser capazes de alcançar ou se tornar o que querem graças às unidades energéticas que emanam de seus próprios pensamentos e emoções.

Sob essa perspectiva entraria então aquela famosa frase de “você se torna o que pensa” e que no Universo existe uma espécie de lei de atração onde o próprio pensamento nos faz atingir nossos objetivos. Bem, não é nosso propósito criticar ou defender essa abordagem, porque, na realidade, as coisas podem ser muito mais simples.

Não é uma questão de magia, mas de abertura, de querer ver, de sair da zona de conforto e de abrir as portas interiores que todos nós temos para nos permitir segundas oportunidades. Se alguém percebe que merece ser feliz, essa pessoa já está fazendo algo grande sozinho.

É “reconhecer”, é nutrir esse laço e essa autoestima onde as coisas podem começar a ser muito mais fáceis. Porque a vida não é planejada e em muitas ocasiões ela insiste em contradizer os planos que fizemos com toda a nossa ilusão.

1. Torne-se primeiro o que procura

Você pode sonhar em encontrar a combinação perfeita. A pessoa que acompanhará seus dias com carinho, que será cúmplice de seus desejos e projetos, amante de seus sorrisos e refúgio de seus abraços.

Você sabe como gostaria que fosse, uma pessoa emocionalmente madura, divertida, compreensiva, dialogante, humilde e destemida.

Então, o que você acha que se em vez de “sonhar” você alcançar todas as dimensões que você quer na pessoa que você ama? Torne-se alguém que vale a pena passar uma vida inteira. Seja essa ou aquela que você sonha, porque se você se sentir bem sobre como você é, a felicidade que você contribui para quem está ao seu lado será mais completa.

2. Aprenda a se permitir o que você merece, para que o que você precisa venha até você

Não, não estamos falando da lei da atração. É algo muito mais simples. Pense, por exemplo, naquelas pessoas que experimentaram um fracasso afetivo e que decidem fechar as portas de seus corações. E ainda mais, elas constroem uma concha ao redor delas e vivem da desconfiança, do ressentimento.

Ninguém merece viver assim, menos ainda em uma prisão que se cria. A chave é começar a quebrar as paredes interiores: eu mereço ser feliz, mereço o tempo para mim, mereço curtir meus hobbies, sair para o mundo, mereço rir e me ver bem.

Quando alguém se gratifica e contribui com o que ele realmente merece, ele reabre ao mundo, torna-se mais receptivo ao que o rodeia. Até que no final, quando menos esperar, a vida lhe traz o que você precisa.

3. Cuidado com as altas expectativas, apenas deixe ir

Cuidado com os castelos de cartas, com “nossa felicidade é para sempre” e “ninguém vai me machucar de novo”. É impossível alcançar a invulnerabilidade emocional e uma vida de história onde cada sonho é realizado porque está escrito dessa maneira.

A vida não tem rédeas, ninguém pode controlar o que vai acontecer amanhã, muito menos podemos planejar metas inatingíveis. Sonhar não é ruim, nem um pouco, alimenta nossa ilusão e, por extensão, a força e os recursos que usamos para alcançar nossos objetivos. No entanto, devemos ser humildes e aprender a nos deixar ir, com mais flexibilidade.

Agora, “deixar-se ir” não significa colocar o piloto automático e permitir que as coisas aconteçam da maneira que o acaso ou a inércia querem. Todos nós tomamos o leme de nossas vidas e sabemos que direção seguir e guiaremos nossos dias atravessando ventos e tempestades. Com força e integridade.

Fonte indicada: Rincón del Tibet
Imagem de capa: Pascal Campion

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here