Muitas pessoas têm memória seletiva e esta é uma arma maravilhosa quando não se lembra de coisas que despertam emoções negativas, coisas que nos ferem, que nos envergonham, que nos perturbam ou geraram algum tipo de trauma. Se você não está fugindo, mas é capaz de realmente esquecê-lo, é realmente benéfico.

No entanto, ingratos ou esquecidos, há aqueles que esquecem aquelas pessoas que estiveram ao seu lado em momentos cruciais de suas vidas, que apoiaram, que contribuíram com sua parte ou simplesmente apresentaram seus ombros para que quem quer que precise possa suportar um momento difícil.

Quem faz as coisas de coração não espera reconhecimento, no entanto, é o destinatário dessa boa ação que deve garantir a humildade e a gratidão de fazer reconhecer que você ajudou e como isso favoreceu e foi importante em algum processo da vida dessa pessoa.

Quando somos capazes de agradecer o universo que é sempre responsável por nos dar mais motivos, em sincronia com o que prevalece em nossas vidas e, desta forma cultivar relacionamentos onde há equilíbrio e reciprocidade, sobretudo colhemos o que semeamos. Pode ser que alguém não tinha acesso para fazer nada por nós e não teve a chance de retribuir de volta, no entanto, há um universo de pessoas que estão em necessidade do nosso apoio, a qualquer momento e nós podemos ser parte da cadeia de solidariedade que sustenta o mundo, a de ser mais robustos, com certeza teríamos uma humanidade melhor.

Não se esqueça de quem nos deu o seu tempo, quem confiou em nós, quem deu boas referências, quem nos ajudou com algumas contas, quem compartilhou o seu pão com a gente, quem nos fez ver as coisas de uma forma mais positiva, que nos acompanhou em alguma doença … Não importa quão pequenas ou grandes sejam as ações, vamos dar-lhes coragem e pensar por um momento o que teria acontecido se não tivéssemos contado com esse gesto em um determinado momento.

Reservamos um lugar em nossas mentes e corações para aquelas pessoas que, sendo capazes de fazer muitas outras coisas, decidiram nos apoiar, estar conosco, decidiram fazer parte de nossas vidas nos momentos precisos que mais precisávamos delas.

Traduzido e adaptado por A Soma de Todos os Afetos, via Sara Espejo – Rincón del Tibet

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

1 COMENTÁRIO

  1. Se alguém nos fez mal, importa esquecer porque lembrar o mal é adoecer. Porém imprescindível lembrar daqueles que estiveram ao nosso lado quando mais precisamos. Seremos mais do que ingratos, seremos maus, se não carregarmos no coração, o rosto que não fugiu de nós, quando todos fugiram e indispensável recordar quem conseguiu nos fazer sorrir, apesar das lágrimas. Gratidão é isso. É ultrapassar o tempo para encontrar de novo as mãos que nos seguraram à beira do abismo e beijá-las, reconhecidos. É pedir a Deus pelos que nos salvaram sem interesse de alguma recompensa, porque eram bons. Mas gratidão também é isso: seguir o exemplo destes benfeitores, fazendo o mesmo por quem sofre hoje, exatamente igual ao que ontem nos fizeram.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here