Talvez você queira fazer uma viagem para fugir da vida, para puxar a tomada e tirar um momento para refletir. Na realidade, a necessidade de viajar denota o desejo de que a vida não desapareça.

Em outras palavras, quando se parte para uma jornada, a pessoa é movida pelo desejo de deixar de lado a sensação de que sua vida chegou a um ponto fixo. A jornada liberta e enriquece. Viajar deixa você sem palavras e depois transforma você em um contador de histórias.

Porque embarcar em um ônibus, em um trem, em um avião, em um navio ou em qualquer meio de transporte significa abrir a porta para o oposto do que é comum, deixando a rotina para trás e saciando a fome de cultura, conhecimento , seus próprios costumes e sua própria perspectiva.

“Se algo de bom acontecer com você, viaje para comemorar. Se algo de ruim acontecer com você, viaje para esquecer. Se nada acontecer com você, viaje para fazer algo acontecer…”

Crie um diário de viagem para marcar sua rota

Uma das coisas que todos devem fazer, cedo ou tarde na vida, é viajar sem planejar o itinerário, sem intenções, com o único propósito de sentir a mudança e a capacidade de se renovar, contemplando o olhar na janela de um trem em marcha.

Percorrendo caminhos e cruzando mares, podemos descobrir uma grande realidade que muitas vezes nos escapa: todos nós cometemos erros ao julgar lugares desconhecidos para nós. Estamos errados em fazer julgamentos sem ter visto um lugar, para avaliar de olhos vendados.

Viajar é uma daquelas coisas que muitas vezes tendemos a adiar, o melhor é criar um diário de viagem para marcar nossas rotas, descrevendo todas as razões que nos levaram naquele momento a querer viajar.

Uma vez que a jornada esteja completa, não seremos capazes de esquecer as sensações e a riqueza emocional que a experiência gerou em nós. Porque mostrar as maravilhas do mundo aos nossos olhos significa saborear seu povo, sua fauna e sua flora. Enriquece nossos hábitos e renova nossas crenças.

Viajar é a melhor maneira de exercitar sua mente e espírito

Cada lugar é um universo de sensações às quais damos vida no momento em que experimentamos a intenção e a emoção de viajar. E, no entanto, afinal, não somos nós que estamos fazendo uma viagem: é a jornada que nos faz.

Viajar é uma daquelas coisas pelas quais você paga, mas que, sem dúvida, enriquecem você. Por sua vez, é fatal para acabar com o preconceito, intolerância e estreiteza de visão, pois se desintegra de forma quase fulminante.

Tomando uma jornada, percebemos que os melhores aspectos da vida não são coisas. Viajar serve para abrir nossos olhos para novas oportunidades, destacar nossa mente, dar nova vida às nossas idéias.

Uma jornada é medida em amigos, não em milhas

Entre todas as riquezas de uma jornada, uma das oportunidades mais incríveis que ela pode oferecer é a de conhecer pessoas, fazer amigos e sentir que podemos criar raízes e criar vínculos emocionais com as pessoas encontradas em nossa jornada, da maneira mais simples.

Há também a possibilidade de viajar em absoluta solidão, para se completar, para se ouvir e cuidar de si mesmo. Seja como for, viajar é uma maneira de amar a si mesmo, cultivar a amizade consigo mesmo, transformar seus sonhos e encontrar respostas para suas dúvidas.

Viajar nos enriquece, sem dúvida alguma. Porque aqueles que vivem vêem, mas aqueles que viajam podem ver muito mais longe. Lembre-se: até o barco ancorado em um porto seguro foi criado para navegar.

Do site La Mente è Meravigliosa, com tradução A Soma de Todos os Afetos
Imagem de capa: Pexels

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here