A verdadeira atração vai além do físico ou daquele interior tão difícil de definir. A magia autêntica entre duas pessoas está inscrita na leitura emocional de dois corações que entram em colapso e harmonizam, que são compreendidos. É essa atração que não se limita ou fecha os olhos.

Estamos todos cientes sobre o quão complexo é para a ciência isolar variáveis ​​e estabelecer correlações para entender um pouco melhor o que é chamado de amor, carinho ou atração. No entanto, o estudo mais recente publicado até agora parece claro: a chave para a atratividade pode ser a compreensão mútua entre duas pessoas.

“Eu só quero alguém que me entenda.” Esta é, sem dúvida, uma das frases mais comuns que lançamos desesperadamente quando falhamos em qualquer relação afetiva. Longe de pedir por um impossível, nossa demanda é tão lógica quanto correta. Porque nenhum amor será autêntico se não houver tal empatia baseada na intuição das necessidades e na correspondência das afeições.

O mistério da atração entre duas pessoas

Lembre-se, por um momento, de um filme inesquecível: “Melhor Impossível”. Estamos diante de duas pessoas completamente diferentes, tanto em status social quanto em interesses pessoais. Embora entre Melvin e Carol há uma atração inexplicável, a personagem de Helen Hunt sente desesperado no comportamento e atitude de Jack Nicholson.

Ela “quer um namorado normal” alguém que a entenda. Até que em um determinado momento, e em uma situação limite, ela pede a ele para lhe dar uma única razão para não sair naquele momento. Foi quando Melvin Udall, um escritor de romances obsessivo compulsivo revela sinceramente, “Você me faz querer ser uma pessoa melhor.”

É aí que está o verdadeiro mistério.

O verdadeiro apelo está no cérebro

Quanto mais nos sintonizamos com o mundo emocional de alguém a ponto de decifrar seus sentimentos, maior a atração. Esta é a conclusão de um grupo de pesquisadores da Universidade de Lübeck, Alemanha, cujo estudo foi publicado este ano na revista “PNAS”.

O amor será sempre alegria e a necessidade de dar o melhor de nós mesmos para sermos amados. Porque o amor que só entende sofrimento e chantagem não é digno nem é autêntico.

A atração mais intensa é aquela em que finalmente entendemos as intenções e emoções da outra pessoa, e onde também reforçamos nosso crescimento pessoal e autoestima como a raiz daquela árvore que consegue encontrar um pequeno canto sob a terra, cheio de água e nutrientes, onde você pode crescer em força e beleza.

Encontrar alguém para entender e entender não é fácil, sabemos, mas quando isso acontece, nosso cérebro fica satisfeito. É isso que o neurocientista e diretor deste estudo, Silke Anders, nos explica:

. Para ter um relacionamento duradouro e feliz, as pessoas são “obrigadas” a atualizar e decodificar continuamente as emoções e as intenções de nossos parceiros. Só então podemos antecipá-los e agir de acordo.

. Se não o fizermos, se o nosso sistema neuronal não conseguir decodificar as emoções, um estado de estresse e dissonância é criado no cérebro.

Tudo isso parece nos ajudar um pouco mais a entender porque, às vezes, iniciar um relacionamento com alguém que nos atrai fisicamente e com quem tememos algumas afinidades, não se encaixa bem.

As pessoas precisam de uma harmonia mais íntima, onde o nosso vocabulário fale a mesma língua. Onde as necessidades são decodificadas por uma leitura emocional sábia, intuitiva e acima de tudo corajosa. Capaz de dar a resposta mais precisa a cada momento e não aquele que lhe interessa.

Precisamos ser feitos pessoas melhores e não personagens mal compreendidos sob nossa armadura solitária.

Traduzido e adaptado do site La Mente es Maravillosa

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here