Quando uma pessoa mantém atitudes que podemos qualificar como tóxicas e não podemos fazer muito para ajudá-la a mudar, é melhor colocarmos uma distância entre nós e ela. É assim que protegemos nosso equilíbrio emocional. No entanto, nem sempre é possível colocar um espaço físico no meio. Às vezes não temos escolha a não ser continuar lidando com essa pessoa. Nesses casos, é imperativo que aprendamos a colocar limites às pessoas tóxicas em prol da nossa saúde mental.

Como se defender de uma pessoa tóxica?

1. Desenhe um plano e visualize-o mentalmente

Quando percebemos que temos controle, o nível de tensão ou estresse que pode gerar as situações a que nos expomos é menor, assim como o desconforto que elas geram. Em outras palavras: quando sentimos que temos controle, as pessoas e as circunstâncias nos estressam menos.

Portanto, uma boa estratégia para lidar com uma pessoa tóxica é elaborar um plano de ação e visualizá-lo. Você já conhece essa pessoa e sabe como ela se comporta, então só precisa decidir antecipadamente como reagir. Analise possíveis “rotas de fuga” mentais, procure tópicos que possam mudar a conversa estranha, pense em como você pode sair do assunto sem parecer muito abrupto… Se você estiver preparado para enfrentar situações diferentes, você pode minimizar consideravelmente o impacto emocional.

2. Seja gentil consigo

Pensamos que o autocontrole é uma habilidade que podemos ativar quando queremos, mas na realidade não é assim. É mais apropriado pensar em autocontrole como em uma bateria, quando a usamos muito, ela acaba se esgotando. O autocontrole é “recarregado” por ser indulgente conosco e, acima de tudo, com técnicas de relaxamento.

Isso significa que, se você teve uma manhã complicada e estressante e não se preocupou em recarregar sua “bateria emocional”, provavelmente está tenso e irritado, então você reagirá pior a qualquer contratempo. Portanto, para se defender de uma pessoa tóxica é essencial que você se sinta sereno e relaxado. Quando há calma no interior, as tempestades externas não podem afetá-lo muito.

3. Esteja ciente de suas reações fisiológicas

As reações fisiológicas geralmente antecipam o que vai acontecer dentro de você. Portanto, para lidar com pessoas tóxicas sem perder o equilíbrio, você deve ficar de olho nesses sinais. Você terá que praticar um pouco: como você se sente quando fica com raiva? A raiva se manifesta como um calor subindo para o peito, uma tensão muscular ou talvez um latejar na mandíbula? Como você experimenta ansiedade? Você respira mais rápido, seu estômago se agita ou sente um formigamento em suas mãos?

Esses sintomas físicos são exemplos de respostas comuns a situações de ansiedade ou raiva. Se você detectá-los antes de chegar ao ponto sem retorno, você impedirá que essa pessoa tóxica se encarregue da situação. Existem diferentes estratégias para lidar com esses estados emocionais, desde a respiração diafragmática até o relaxamento muscular progressivo. Você deve encontrar o método que funciona melhor para você.

4. Não leve para o campo do pessoal

Para neutralizar uma pessoa tóxica é essencial que você não transfira seus ataques para o plano pessoal. Considere que às vezes não podemos apoiar uma pessoa simplesmente porque não podemos suportar como eles nos fazem sentir sobre nós mesmos. Nos sentimos humilhados, julgados ou zangados, e isso nos frustra. Portanto, não é a pessoa em si que nos incomoda, mas as emoções que ela gera em nós.

É perfeitamente compreensível que esses estados não nos agradem, mas imagine o que aconteceria se você pudesse separar o julgamento que alguém faz de você a partir de seu próprio julgamento. Imagine o poder que você teria se assumisse que, às vezes, as críticas dizem mais sobre quem critica do que sobre você. Portanto, suponha que há pessoas que criticam tudo e tentam incomodar os outros, não leve isso para o lado pessoal, não deixe que suas palavras e atitudes façam diferença em você e tirem sua paz interior.

5. Lembre-se que eles te amam

Está provado que quando visualizamos que alguém nos protege, cuida e ama, nossas defesas diminuem e reagimos com menos hostilidade e estresse diante de ameaças. E o mais interessante é que leva apenas alguns minutos para aproveitar esse efeito.

Portanto, quando alguém te ataca e você está prestes a perder o controle, imagine uma cena afetuosa em que outra pessoa se preocupa com você. Imagine-se seguro, na companhia de alguém que faz você se sentir bem. É a melhor estratégia para neutralizar uma pessoa tóxica e os sentimentos negativos que isso geralmente gera.

6. Teste a compaixão

Com essa técnica mental, em vez de deixar que seus sentimentos superem você, basta enviar pensamentos de compaixão à pessoa tóxica. Quando alguém nos ataca, imediatamente o vemos como nosso inimigo, então começamos a abrigar sentimentos negativos em relação a essa pessoa e formamos uma imagem negativa. Essa técnica propõe exatamente o oposto.

Talvez essa pessoa seja tão desagradável porque teve uma vida particularmente difícil ou está passando por uma situação difícil em um nível pessoal ou profissional. Não há dúvida de que isso não é uma desculpa para tratar mal os outros, mas cair no seu círculo de negatividade também não o ajudará. Portanto, em vez de nutrir a raiva, tente abrir espaço para a compaixão.

7. Definir limites

O fato de você poder experimentar compaixão por uma pessoa não significa que você permita que ela se torne seu saco de pancadas. Para que isso não aconteça, é importante que você reflita sobre suas interações e estabeleça limites saudáveis ​​para você mesmo que permitam manter seu equilíbrio psicológico.

Você nem sempre conseguirá controlar o comportamento deles, mas poderá minimizar a sensação de que eles estão manipulando você. Portanto, marque certas linhas vermelhas que o outro não deve cruzar e não hesite em avisá-las se necessário. Lembre-se de que colocar limites às pessoas tóxicas é essencial para proteger sua paz interior, não se sinta culpado por isso.

Traduzido e adaptado do site Rincón Psicologia

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here