Um amor sem apegos? Amor de uma maneira consciente? Será que todos nós já não oferecemos amor dessa maneira? A verdade é que nem sempre, e daí a importância de refletir sobre essas ideias por um momento.

Amar conscientemente é querer com o coração e a mente aberta, é oferecer maturidade e enriquecimento pessoal. Há muitos que hoje só sabem oferecer o amor inconsciente que procura dominar e possuir.

Que alguém se sinta ciumento a cada momento não significa que eu te amo mais, nem você vai mostrar mais amor que coloca paredes em seu mundo para se tornar cativo de suas necessidades emocionais e suas lacunas.

O amor consciente promove o crescimento pessoal, respeita e sabe alimentar cada dia um simples amor que é nutrido por pequenas coisas. Vamos falar sobre isso hoje.

Amor sem apegos para ajudá-lo a crescer

Começaremos esclarecendo primeiro o que queremos dizer com a palavra “apego”. Na psicologia, esse termo tem uma importância vital. Toda criança, por exemplo, precisa do apego de seus pais para crescer com segurança sabendo que é amada, cuidada e amada. É uma maneira de fortalecer o vínculo.

Agora, devemos saber que existem anexos saudáveis ​​e anexos tóxicos. Pense, por exemplo, em “crianças borbulhantes”, criaturas superprotegidas cujos pais as impedem de avançar com maturidade, por medo de que algo aconteça a elas, por medo de que elas se afastem do seu lado e permaneçam na solidão. Esses são exemplos de apegos prejudiciais que nos impedem de crescer como pessoas livres e capazes.

Pensemos agora nesse aspecto mais espiritual, em que muitos de nós frequentemente se enquadram na necessidade de nos unirmos firmemente ao material, aos bens físicos de que dependemos, a tal ponto que, se não temos certas coisas, por exemplo, sofremos muito..

Anexos, na maior parte, nos tornam prisioneiros. Se eu exercitar um apego intenso ao meu parceiro, ficarei obcecado em saber onde ele está a cada momento, duvidarei de suas palavras, temendo ser traído em algum momento, e o que é pior, verei essa pessoa como o centro do meu universo. esquecendo de mim mesmo.

Sabemos que para muitos de nós não é fácil conseguir, porque na realidade é muito difícil controlar o amor que nos empurra e nos arrasta através de marés incríveis, amores que nos tiram o fôlego e nos fazem querer de olhos fechados e com os corações acesos.

No entanto, é necessário que aprendamos a manter o equilíbrio, a construir um amor cotidiano que seja enriquecido pelos detalhes humildes e as emoções sinceras que são oferecidas com altruísmo, sem esperar nada em troca.

Amar sem apego é amar sem depender. Não coloque sua felicidade no bolso da outra pessoa, não construa toda a sua realidade em torno da pessoa amada. Construa seu universo também, sentindo-se uma pessoa madura e completa que se ama. Se você tiver uma boa autoestima, saberá como fazer os outros felizes. Se a sua alma está cheia de falhas e lacunas, você vai querer que os outros a “encham” ou satisfaçam, então você também “fará prisioneiros”.

Não fique obcecado em procurar o parceiro ideal. Torne-se seu primeiro em seu próprio ideal, naquele alguém que se sente orgulhoso de si mesmo, alguém com quem vale a pena compartilhar uma vida.

Para amar sem apego, você deve permitir que a outra pessoa atinja suas aspirações, para vê-la como uma companheira nesse caminho que você vai construir entre os dois. Tudo isso é conseguido através da confiança, cumplicidade e respeito.

O amor consciente é o que é oferecido com os olhos abertos e um coração protegido, é continuar sendo dois construindo uma unidade comum, sem egoísmo, sem manipulações emocionais ou chantagens.

Traduzido e adaptado do site Rincón del Tibet, por A Soma de Todos os Afetos

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here