Certamente você já se pegou distraído em situações cotidianas nas quais deveria estar focado, como em uma reunião de negócios, e de repente as ideias se esvaem e você esquece completamente o que ia dizer.

Ou em um jantar com os parentes mais próximos e alguém  lhe faz uma pergunta e você se pega sem saber o que dizer; em conversas do dia a dia com amigos e conhecidos. E quem nunca se perdeu durante a leitura de um livro e se viu na obrigação de ter que voltar uma ou duas páginas para trás, não é mesmo? Talvez em algum momento já tenha agido de forma impulsiva e grosseira com alguém sem ter a intenção e em seguida o arrependimento toma conta.

Isso constantemente acontece, pois, o nosso cérebro começa a trabalhar no piloto automático, nos dando a sensação de que nosso corpo está ali presente nas situações, mas a cabeça está em outro lugar completamente diferente. O efeito piloto automático é totalmente o contrário de um estado de consciência chamado de mindful, ou mindfulness, que nos confere atenção plena ao momento presente sem nos deixar agir de maneira impulsiva ou agressiva.

O conceito já existe dentro da cultura budista há mais de 2500 anos, porém no Brasil a abordagem no assunto ainda é fraca, e apenas recentemente tem sido inserida em workshops, trabalhos acadêmicos e em palestras de coaches.

Diferentemente do Brasil, o governo do Reino Unido está abraçando o conceito: a prática de mindfulness será incluída no currículo de mais de 370 escolas a partir deste ano. A decisão foi tomada após um amplo estudo sobre o bem-estar dos estudantes. Afinal, a técnica está sendo relacionada ao desenvolvimento das soft skills, que são as competências ligadas à personalidade e ao comportamento profissional de uma pessoa.

Além disso, a experiência contará com técnicas de respiração e relaxamento, que englobam o conceito do mindfulness, assim como meditação.

O conceito de mindfulness pode ser aplicado em muitos campos e áreas de nossas vidas. Ele se provou como vantajoso no desenvolvimento da memória, no aumento de nossas percepções, na solução de problemas difíceis e no aumento dos poderes criativos. Isso é discutido no livro da jornalista Maria Konnikova, que curiosamente também é psicóloga e embaixadora da PokerStars – depois de uma ascensão meteórica nesse esporte mental.

Em Perspicácia: Aprenda a pensar como Sherlock Holmes (no original, Mastermind: How To Think Like Sherlock Holmes), a prestigiosa autora aponta como podemos nos basear no mais famoso detetive da ficção – criado por Sir Arthur Conan Doyle e renomado por seus poderes de pensamento e observação – para aprender a cultivar essas habilidades e melhorar nossas vidas.

Tanto no trabalho como as relações pessoais, seja com os familiares, amigos ou relacionamentos amorosos, pois o conceito também ajuda a ter mais controle emocional e saber lidar positivamente com nossas emoções.

Não é apenas nas escolas britânicas que a prática do mindfulness passará a ser empregada – grandes empresas de renome internacional, principalmente as localizadas no Vale do Silício, já adotaram o conceito há anos, e investem em treinamentos para seus funcionários visando a melhoria do desempenho e criatividade.

Há comprovação científica de que quanto maior for o nível de mindfulness presente em nós, maior é a nossa criatividade, inteligência emocional e bem-estar. Além disso, grandes instituições como Harvard, Stanford e UCLA possuem o mindfulness como disciplina em suas grades acadêmicas.

A mindfulness realiza uma espécie de higiene mental a partir de exercícios de entendimento emocional, controle da respiração e meditação. Além de ensinar a manter o equilíbrio entre a mente e do corpo, auxiliando a compreender e controlar as emoções negativas como estresse e ansiedade – seja por problemas no trabalho, com o cônjuge ou familiares.

Diante das evidências de que o conceito de mindfulness pode proporcionar tantos benefícios para a saúde mental e corporal, podemos notar a importância e vantagens que seriam trazidas diante da implementação do conceito não só no Reino Unido como ao redor do mundo, para que todos pudessem ter acesso a uma melhoria na qualidade de vida e bem-estar diante da rotina corrida e estressante em que geralmente nos encontramos.

 

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here