O Papa Francisco teria afirmado a uma vítima de abuso sexual que Deus o havia feito gay e o amava desta forma, assim como ele deveria amar a si mesmo. A afirmação indica um gradual reposicionamento da Igreja Católica, que historicamente condena a homossexualidade.

Juan Carlos Cruz reuniu-se com Francisco em abril deste ano no Vaticano para conversar sobre o abuso que sofreu de um dos mais importantes padres chilenos, Fernando Karadima. O papa havia convidado e outras duas vítimas do padre Karadima para um final de semana de conversas no Vaticano.

À rede americana CNN, Cruz descreveu o que Francisco lhe disse quando conversaram sobre sua sexualidade: “Você sabe, Juan Carlos, isso não importa. Deus te fez assim. Deus ama você assim. O Papa te ama assim e você deve amar a si mesmo e não se preocupar com o que as pessoas dizem”.

Segundo Juan Carlos Cruz, o assunto sobre sua sexualidade teria surgido porque alguns bispos latino-americanos diziam que ele mentira sobre os abusos que sofrera e que era, na verdade, um pervertido.

Procurado para comentar a afirmação de Cruz, o Vaticano afirmou que “normalmente não comenta sobre conversas privadas do Papa”.

Francisco se reuniu com Cruz, James Hamilton e José Andrés Murillo, todos vítimas de abuso de padres chilenos. O padre Karadima foi pelo bispo de Ozono, Juan Barros.

Na sexta-feira (18), 34 bispos chilenos renunciaram a seus cargos, depois de várias conversas com o Pontífice sobre os escândalos de abuso sexual e o acobertamento dos crimes pela Igreja Católica chilena. Francisco precisa ainda aceitar ou rejeitar as renúncias.

Matéria publicada originalmente no portal da Revista Veja

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here