Que podemos acordar um dia e decidir “sorrir, tomar um café e lidar com isso”.

Desculpe te decepcionar, mas a ansiedade não é algo que podemos simplesmente “desligar”.

Ansiedade não é algo que eu posso escolher ter na segunda-feira, ou não ter no domingo.

Ansiedade não é uma decisão. Não é uma coisa voluntária que queremos ter em nossas vidas, dia após dia.

Não é uma escolha!

Alguns dias, estamos livres disso.

Na verdade, nós pensamos que estamos livres, e que talvez, apenas talvez, ela vá desaparecer.

Mas, de repente, quando a gente menos espera, ela aparece nos cantos mais sombrios de nossas mentes.

Ele salta na nossa frente quando estamos nos sentindo confortáveis. E isso se torna o foco uma e outra vez, sem aviso prévio.

Nós não podemos simplesmente “escolher ser feliz”. Nós não podemos simplesmente “relaxar”.

Ansiedade não tem um botão de “pausa” em nossas mentes. Depressão não tem um botão “desligar” em nossos cérebros.

E nenhum dos dois, definitivamente, têm um botão de expulsar em nossas cabeças.

 

Ao nos dizer para simplesmente “relaxar”, você está minimizando nossa doença.

Você está minimizando o significado que isso tem em nossas vidas diárias.

Você está dizendo que a ansiedade não é algo a levar a sério. Que não é uma verdadeira “doença”, e que não é algo para se preocupar verdadeiramente.

Você diria a alguém com uma perna quebrada para parar de reagir exageradamente e “apenas continuar andando”?

Você diria a alguém com câncer para “apenas sorrir” e “deixar acontecer”?

Acho que não.

Então, por favor:

Pare de nos dizer para sorrir quando nós não sabemos como.

Pare de nos dizer para ligar uma música e escolher ser feliz.

Pare de nos dizer que nos não temos nada com que nos preocupar, quando isso é tudo que nós sabemos fazer.

Pare de julgar como nos sentimos, quando você tem ideia do que estamos passando.

Você nunca vai saber como nos sentimos a menos que você um dia com nossos sapatos e um dia em nossas mentes.

Você nunca vai saber o que se passa dentro de nossos cérebros a cada segundo do dia.

Você nunca vai saber como é se sentir atormentado com uma nuvem escura que te acompanha o tempo todo.

E você nunca vai saber como é sentir medo da sua vida, estar constantemente em pânico e ser constantemente preenchido com “e se?”.

Então antes de você tentar nos fazer sentir melhor dizendo-nos para relaxar, por favor lembre-se, ansiedade é uma doença mental. Depressão é uma doença mental.

É uma doença.

Não é uma visão da vida.

Não é um “palco” do qual vamos sair.

E não é um grito de atenção.

Acredite em mim!

Se pudéssemos, nós relaxaríamos, ficaríamos de boa, pararíamos nossos pensamentos antes de entrarem em território perigoso.

Se pudéssemos, nós relaxaríamos, ficaríamos de boa, pararíamos nossos pensamentos antes de entrarem em território perigoso.

Acredite em mim, se tivéssemos a capacidade, faríamos isso o mais rápido possível.

***

Este artigo é uma tradução do Awebic do texto originalmente publicado em Thought Catalog, por Lauren Jarvis-Gibson.

Imagens meramente ilustrativas: cenas da série “Mr Robot”

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

9 COMENTÁRIOS

  1. As vezes estou sinto que estou no limite minha ansiedade vive mascarada de força,não deixo parecer o quanto isso está me destruindo por dentro,eu vivo no casamento estável a 20 anos ,somos completamente diferente ao modo de ver a vida ,sou positiva bom humor ,vejo otimismo na vida.ele completamente diferente ,sinto que já não mais consigo aceitar isso ,tento conversar disser oque me encomoda mais ele não me escuta,não se importa na verdade.nao vou envelhecer assim desse jeito,estou tentando não deixar a ansiedade me consumir e vier uma de pressão.as vezes á tristeza me consome

    • Olá Enicia , gostaria muitíssimo que vc analisasse o conteúdo de fevereiro ja disponível da revista A Sentinela no site jw.org ,onde trata de algo muito útil, prático e maravilhoso …..mas por favor , navegue no site , não tenho dúvidas que encontrará incríveis soluções e se sentirá muito bem !!!!

  2. Então o que nós que vivemos lado a lado com a pessoa ansiosa, e somos alvo direto das crises, e que amamos, temos filhos e sonhamos podemos fazer para ajudar???
    É fácil dizer o que não fazer, o difícil é dizer o que podemos fazer para acabar com esse mal.

    • Não cobrar, não exigir. O ansioso e depressivo se culpa, se acha um fardo para as pessoas. Quando encontramos alguém que nos entende, que nos aceita, que não nos julga, condena, simplesmente entende, se mostra disposto a ajudar, é muito bom. É como encontrar água em terra seca!

  3. E como devemos agir!? Todos os textos que leio.. nos diz para não falarmos para ficarem calmos, relaxar, está tudo bem. Mas nunca nos diz o que fazer ao lidar com a pessoa com transtorno de ansiedade. Não sabemos o que fazer.. é muito angustiante ver uma pessoa que vc ama ter uma crise dessa e vc não conseguir ajudar… e frustrante… Não nos julguem por tentar ajudar… só não sabemos o que fazer .. nem sempre dizer pra uma pessoa com ansiedade se acalmar, é estar menosprezando a doença… simplesmente queremos dar um conforto e não sabemos como.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here