Sabe a grama do vizinho? Aquela que sempre parece mais verde que a nossa? Aquela que num dia cinza a gente olha pela janela e ela parece tão linda? Talvez ela nem exista. Talvez seja só um contrapiso pintado de verde, talvez seja uma grama artificial, talvez você não esteja enxergando da forma como ela realmente é ou pode ser que o vizinho dedique mais tempo para cuidar e deixá-la verdinha. Da grama do vizinho nós pouco ou nada sabemos. Mas às vezes ela parece tão mais bonita que a nossa, tão mais verde, tão mais viva. Talvez seja mesmo, mas passar a vida comparando a sua grama ou a sua vida não parece ser uma atitude muito saudável. Nas redes sociais todas as gramas são verdes e brilhantes.

Nas redes sociais todas as festas são legais, todo mundo é feliz, toda sexta-feira tem happy hour, todas comidas são saborosas, todos os relacionamentos são cheios de amor e compreensão, todas as famílias tem laços fortes e respeitosos. Nas redes sociais não há espaço para os dias que passamos de pijama jogados no sofá, para as sextas sem nada pra fazer, para as nossas crises de mau-humor, para as brigas que acontecem dentro das nossas casas, para os nãos que a gente recebe, para os pratos de feijão com arroz. Normal que seja assim, mas a vida real mesmo é a que acontece longe das telas, e essa tem pouco ou quase nada de extraordinário.

Vida real tem mau-humor matinal, tem perrengue quase todos os dias, tem louça suja na pia, tem brigas na hora do café, tem comida requentada, tem choro no chuveiro. Mas vida real também tem gargalhada de quem a gente ama, abraço apertado na chegada, café preparado as pressas mas com amor, mãos dadas no cinema, conversas de desabafo na madrugada, olhar cúmplice que nada diz mas tudo se entende. E tudo isso a gente também não publica, tudo isso a gente apenas vive e sente.

Portanto, o melhor que podemos fazer é viver a nossa vida e cuidar da nossa grama, sem comparações. Nós não sabemos de verdade o que o outro vive apenas considerando o que ele publica ou o que demonstra publicamente. Cada ser humano é um universo e só ele mesmo (e às vezes nem ele) é capaz de saber o que sente e o que vive. Pare de perder tempo desejando a grama do vizinho, você não sabe o que existe por trás dela. Cuide da sua, cultive suas raízes, regue seus amores, espalhe boas sementes e valorize-a do jeito que ela é.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Josielly Pinheiro Westphal
"Psicóloga de vez em sempre, organizada de vez em nunca. Escreve sobre coisas aleatórias e em momentos mais aleatórios ainda. Tem mania de observar tudo ao seu redor, mas tem opinião formada sobre bem poucas coisas. Aprendiz na arte de encerrar ciclos e de se abrir para novas experiências. Acredita em Deus e nas pessoas. Gosta muito do mar, de sol, da família, dos amigos. Corre, malha, faz trilha, come e bebe quando tem vontade. Sensível e durona, teimosa e manhosa: HUMANA.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here