Ouvindo o programa “Momento Zen” da Monja Coen na Radio Mundial, conheci uma belíssima estória oriental que acabou me inspirando a escrever o texto que você lê agora. Link [aqui].

Transcrevi essa estorinha que nos transmite um ensinamento precioso. Acompanhe!

***********

Um samurai era um cobrador de dívidas e certo dia se dirigiu a um pescador que estava devendo muito dinheiro e sacou sua espada para agredi-la e ele disse na mesma hora.

– Olha Sr. Samurai, eu estou estudando as artes marciais e ela diz que nós nunca podemos ferir alguém quando estamos bravos porque depois podemos nos arrepender e criar um karma ruim para si.

Daí ele respondeu: “Você tem razão”. Então guardou a espada.

Depois o samurai voltou pra casa e encontrou sua esposa dormindo com uma pessoa ao seu lado vestida de samurai. Então ele ficou profundamente irritado e pensando: “Minha mulher está dormindo com outro homem…”.

Puxou a espada para matar tal pessoa e na mesma hora lembrou-se das palavras do pescador, respirou fundo e decidiu guardar a espada.

Em seguida sacudiu a esposa e quem estava ao seu lado, quando surpreso percebeu que se tratava da sua mãe vestida de samurai.

Sua esposa explicou que a mãe dele estava vestida de samurai porque ela estava com medo de alguns bandidos que estavam do lado de fora da casa. Dessa forma conseguiram afastar os bandidos!

Nesse dia o samurai foi dormir bastante pensativo e outro dia, reencontrou o pescador. Ele disse assim: “Estou com o dinheiro, vou lhe pagar agora”.

Então o samurai disse: “Não! Você já me pagou com o ensinamento que você me deu. Porque eu ia matar a minha mãe e a minha esposa e você me falou que não devemos agredir ninguém quando estamos com raiva…”.

********

Apesar de curta, ela tem uma profundidade absurda. Esse simples pescador ensinou ao samurai que a raiva sempre prejudica mais a si mesmo do que aos outros.

Se ele tivesse agido pelo ímpeto irascível logo no início, teria matado o pensador, depois a sua esposa e a sua mãe. Em seguida, provavelmente seria condenado e preso.

Agora veja só o que é mais interessante em toda essa abordagem! Não devemos agredir ninguém quando estamos com raiva. Mas quando não estamos com raiva, temos a tendência natural de agredir as pessoas? NÃO.

Em outras palavras, o intuito desta estorinha é nos ensinar a transcender o ímpeto violento. Mas como fazer isso? Na própria estorinha já temos a solução. Respirar fundo e refletir sobre os atos no aqui e agora.

Não é à toa que a sabedoria oriental e as artes marciais ensinam a importância da meditação e da respiração consciente. Ambas nos ajudam a concentrar nossas energias e nosso pensamento no momento presente, dessa forma agimos com uma consciência bem maior, evitando assim cometer erros grosseiros ou mesmo atrocidades.

Que essa breve estorinha ajude você a respirar fundo sempre que sentir que está com raiva e que está prestes a agredir alguém. Dessa forma eu garanto que você falhará menos e terá uma vida muito mais pacificada e feliz…

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Isaias Costa
Bacharel em Física. Mestre em Engenharia Mecânica e Psicanalista clínico. Trabalha como professor de Física e Matemática, mas não deixa de alimentar o seu lado das Humanas estudando a mente humana e seus mistérios, ouvindo seus pacientes e compartilhando conhecimentos em seu blog "Para além do agora", no qual escreve desde 2012.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here