Hoje, mais uma vez, me deparei com essa sua frase, Caio. Ou melhor, uma ordem: “engole teu coração e se ama por dentro”. Essa ordem foi na hora certa, viu?! Ando tão perdida, Caio. Imagino que mais pessoas também estejam.

Engraçado como o falso amor faz a gente se perder de nós, não é? Andei entregando meu coração demais, estragando o meu coração demais com quem é de menos, com quem não faz questão de sentir o que pulsa em mim, com quem me afasta a cada vez que eu tento me reaproximar.

Como que eu engulo meu coração assim, Caio? Todo pisado, sujo, maltratado por uma inconsequência minha que foi entrega-lo, assim, de bandeja? Talvez redescobrir o amor próprio seja isso, né?! Engolir o coração maltrapilho e se curar, aos poucos, cuidando do lado de dentro. No começo o gosto é amargo, pode doer, incomodar.

A gente se acostuma tanto a viver com o coração exposto, que quando o devolve ao peito até estranha. Eu sei o que você quis me dizer hoje, Caio – Engole o choro, engole a saudade, engole a falta, engole tudo o que aconteceu e engole também o seu coração, e, ao invés de entregar amor a quem não quer, entrega a você que tanto precisa- . Eu consigo até te ouvir, Caio.

Obrigada por ter me mandado essas palavras hoje, de novo. Tô indo ali me amar por dentro.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Isabella Gonçalves
Formada em Direito, apaixonada por livros, pessoas e céu cinzento. Escrevo porque gosto e quando quero. Inconstante, dramática, sonhadora. Vejo 100 onde há um. Vejo um onde há 100 vazios. Confiável, confiante, e que siga a vida! Adiante...sempre.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here