Essa vida louca que dá voltas e voltas e mais voltas. Nos tira o sono, os sonhos, a calma e depois vem como um abraço quentinho. Parece que não, mas sim. Uma hora a calma vem e a tempestade vai desaparecendo por entre as nuvens. Vaaaaaaai e veeeeeem.

É o sol! É o sol!

Um sol redondo e aberto em forma de sorriso, o seu sorriso. Um riso feito, amável, doce. Um riso de moça inquieta por descobertas sobre como o mundo pode ser bom (apesar dos pesares).

Engraçado como a vida dá voltas, já disse isso? O chão retorna aos pés e as asas nem se movimentam mais, pois é possível voar com os pés firmes na grama verdinha. Seu corpo é uma grama verdinha. Um terreno fértil, macio, generoso e intenso.

Me deito e só.

O pó que rasgava o sofá – oriundo da poeira do tempo, agora é só o relógio acenando com as duas mãos, convidando para um vinho bom, um beijo, um sonho, um abraço demorado e infinito. O seu abraço é infinito, um local seguro, apertado, esperançoso.

Como é bom gostar de você e descobrir a cada dia um novo jeito de fazer isso. Você é um monte de possibilidades e eu apenas brinco de descobri-las com calma, serenidade e gratidão. Você é a gratidão em pessoa, com nome, sobrenome e olhos lindos.

Incrível como nessas voltas da vida – e olha que a vida dá voltas (de novo), a gente acaba entendendo o motivo da dor, a importância do recolhimento e a necessidade do renascimento. Você é o renascimento em forma de poesia, uma literatura gostosa de ler e saber e reler quantas vezes o dia permitir.

E à noite. Ah, a noite com você é tão quente, tão molhada, tão nossa. Parece que se faz inteira nos meus braços enquanto o sol dorme. Você é a noite de batom vermelho, vestido preto justinho e um salto sexy e elegante ao mesmo tempo (porque você consegue ser as duas coisas ao mesmo tempo).

Ao mesmo tempo, olha que louco, você é doce feito aquela primeira música que a gente dançou naquele bar estranho. É uma nota musical que ninguém compôs, mas que meus ouvidos saboreiam tal e qual sua boca faz com a minha.

Ah, essa boca bonita!

Mas não é só isso, você também é tanta fome de vida que estar ao seu lado já é a coisa mais legal a se fazer em uma segunda pela manhã ou em um sábado de madrugada.

Você é luz e escurinho, paz e intensidade, verdade e coerência. Você é a parte mais bonita da minha alegria e toda vez que pego a sua mão é como se o mundo sorrisse gracioso pra mim. Você é um sonho bom (desses que a gente faz questão de sonhar acordado).

Muito bem acordado.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Ju Farias
Não nasci poeta, nasci amor e, por ser assim, virei poeta. Gosto quando alguém se apropria do meu texto como se fosse seu. É como se um pedaço que é meu por direito coubesse perfeitamente no outro. Divido e compartilho sem economia. Eu só quero saber o que realmente importa: toquei alguém? É isso que eu vim fazer no mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here