Hoje escolho ser feliz, escolho por me priorizar, me cuidar e me amar um pouco mais, e que as estrelas iluminem o caminho da minha vida, iluminem minha trajetória para que tudo ocorra bem. Hoje eu escolho ser corajosa e saber assim dar felicidade aos meus.

Nunca é tarde demais para os bons propósitos, nunca é tarde demais para perceber que, talvez, nós merecemos mais e que somos os primeiros a sermos convencidos a assumir o controle da nossa vida, e dar, por que não, um pouco mais de ar para nossas velas para alcançar a felicidade.

“O melhor de sua vida é sempre agora, essa é a linha de partida em que, para iniciar o motor de suas ilusões, dar alento a suas cinzas para acender as estrelas que vão iluminar seu caminho.”

Às vezes, e quase sem darmos conta, as pessoas adiam a nossa vida. Nós nos limitamos a “existir”, mas não a viver. E não estamos falando de não ser capaz de fazê-lo por causa de problemas econômicos, há aqueles que levam uma vida autêntica, plena e feliz tendo o mínimo.

Às vezes, e quase sem darmos conta, as pessoas adiam a nossa vida. Nós nos limitamos a “existir”, mas não a viver. E não estamos falando de não ser capaz de fazê-lo por causa de problemas econômicos, há aqueles que levam uma vida autêntica, plena e feliz tendo o mínimo.

Falamos dessa vida em que se está em equilíbrio consigo mesmo e vive do coração, fazendo verdadeiramente o que se ama e cercando-se de pessoas de quem recebe uma autêntica reciprocidade.

Há momentos em que ficamos encalhados em salas de espera eternas, esperando chegar o nosso ingresso para aquela vida real e autêntica, porque estamos presos a coisas, situações ou mesmo pessoas que vetam completamente nosso crescimento pessoal.

Quando a vida não é vida, é só existência

Ao longo do nosso ciclo de vida, passamos por diferentes etapas, onde a felicidade nem sempre é garantida. São momentos em que a vida não é vida, é apenas uma passagem dos dias em que estamos diluídos, onde não há intensidade, onde não há ilusão.

“Qualquer ilusão que se perde é uma verdade que não enfrentamos, por isso, hoje escolho assumir meu passado e minhas verdades, permitir que meu presente amanheça com energias renovadas, sem arrependimentos, sem censuras…”

Quem se limita a se deixar levar pela rotina e pelas escolhas que os outros fazem por elas, dia a dia, está perdendo seu rumo. Haverá, sem dúvida, um momento em que você deixará de se conhecer, porque sua identidade terá se desgastado em um manto frio, onde sua autoestima não será mais protegida. Onde não haverá mais nada.

– Às vezes, certas situações são o que acaba nos condicionando de tal maneira que não mais questionamos as coisas. “Eu sei que o meu trabalho não me faz feliz, que eles violam meus direitos, mas pelo menos eu tenho um apoio econômico. Deixá-lo é um risco, e mesmo perdendo minha saúde não posso fazer nada…”

– Outra razão pela qual estamos presos e limitados em nosso crescimento pessoal, é por essas relações afetivas que limitam nossas aspirações, que vetam nossos espaços, nossos objetivos, a tal modo que vamos nos deixando ser conduzidos…

Na verdade, existem muitas razões pelas quais nossa vida, aquela vida autêntica que sonhamos para nós mesmos, é adiada. Pode ser até nós mesmos que fechamos as portas por indecisão, por medo de sair de uma certa zona de conforto.

Os inimigos do nosso crescimento vital e da nossa felicidade nem sempre estão do lado de fora. Às vezes, nossos próprios pensamentos e atribuições podem ser os mais perigosos.

La Mente es maravillosa – via Revista Pazes

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here