Felicidade genuína vem de aceitação genuína. É pararmos de tentar mudar tudo e a nós mesmos o tempo inteiro e aceitarmos com mais naturalidade o que temos agora, nesse momento.

Há quem viva esperando o feriado para ser feliz, as próximas férias, o fim de semana.

Há ainda, os que afirmem que a felicidade só é conquistada quando o patamar de vida for altíssimo.

E ainda há aqueles que acham essa coisa de felicidade uma grande baboseira!

Eu sou dos grupos que acredita que a felicidade é um estado de espírito e que depende muito mais de fatores internos individuais, do que de fatores externos ou coletivos.

Acredito que exista um grande conflito de informações e que boa parte de nós confunda ‘felicidade’ com ‘euforia’, e esse é um equívoco terrível, porque, assim, passamos por cima das pequenezas que compõe a felicidade rotineira, pois elas nos causam mais paz e tranquilidade do que euforia, e nos sentimos frustrados por não levantarmos em plena segunda-feira às 5:45 da manhã, cheios de disposição para enfrentar uma academia, rotina intensa de trabalho/estudo, casa, vida pessoal e família.

Felicidade é a capacidade de organização pessoal interior em meio ao caos mundano. É o famoso “viver em paz consigo mesmo”.

Felicidade genuína vem de aceitação genuína. É pararmos de tentar mudar tudo e a nós mesmos o tempo inteiro e aceitarmos com mais naturalidade o que temos agora, nesse momento.

Não devemos esperar a promoção do trabalho, a mudança de chefia, a compra de um imóvel novo ou a troca de carro no final do ano para, então, finalmente, COMEÇARMOS a ser felizes. Precisamos fazer um grande esforço para nos ater ao hoje, ao agora mais precisamente, e buscar o que temos bem à nossa frente e utilizar isso da forma mais vantajosa possível. Se não dá para fazer o que se quer, façamos o que se dá.

Às vezes, nós nos esquecemos de que as pequenas coisas, tão triviais, são, na verdade, a grandeza desta vida. Às vezes, temos que perder tudo para percebermos que o “nada” era essencial. E nos damos conta disso, justamente em meio à uma crise pessoal daquelas. Então, aqui, quero lhe propor que tente resgatar os pequeninos prazeres diários de se estar VIVO e assim, quem sabe, não encontre seu caminho para a felicidade? Vem comigo?!

Você notará que pequenas atitudes em prol de nós mesmos, são capazes de alterar profundamente nosso estado de espírito, e que ficar esperando a vida mudar para começar a melhorar é uma furada, para dar certo tem que ser o inverso.

Temos que nos esforçar para mudarmos conscientemente algumas atitudes e, assim, ao mudarmos nossa fisiologia, nossos pensamentos começarão a mudar naturalmente.

Por mais que sonhemos e almejemos, nem sempre dá para viajar para fora do país, comer naquele francês caríssimo ou mudar e comprar um apartamento novo. Mas sempre é possível aprender a cozinhar um prato novo, começar um curso bacana online, e assim ativar nosso circuito cerebral do prazer. O cérebro gosta de desafios, de um novo livro, um documentário interessante, de aprender e aprender algo novo nos proporciona compensação e felicidade a longo prazo, diferente dos gatilhos rápidos que inundam nossos cérebros de endorfina, mas que o efeito dura muito pouco, como ouvir música, ingerir bebida alcóolica, fazer amor e comer chocolate e carboidratos! Podem ser uma boa solução emergencial para quando estamos na deprê! Nada contra chocolate, vinho e paixão! *risos*

Mas proponha a si mesmo novos desafios e prove que é capaz. Nada pior para uma mente cansada do que se convencer que não pode mudar a situação. Nós temos o controle, não somos fantoches do destino. É você quem dá as ordens! Você manda em você!

Experimente usar mais cores fortes em dias alternados da semana, a cromoterapia interfere diretamente no nosso estado de espírito! Tente tomar um café da manhã especial ao ar livre num domingo! Invista mais em você, mostre que se ama. Assuma o controle e silencie um pouco a mente inconsciente. Desconectar para conectar-se. Parece loucura para você passar 8 horas com o seu celular offline? Pois eu lhe digo: é altamente libertador! Todo ser humano hoje em dia precisa dar uma desconectada a fim de se conectar com o seu Eu verdadeiro, aquele que fica escondidinho lá no fundo de nós, soterrado pelos problemas cotidianos.

Só quando silenciamos o mundo à nossa volta podemos escutar o que o nosso coração diz.

Minha dica é que você tire umas horinhas para estar em contato com a natureza. Nenhum ser pode viver em harmonia nesse planeta sem estar em harmonia com a natureza e sem sentir sua força e paz. A Natureza nos oferece lições importantíssimas, como apreciar o silêncio e a própria companhia, além de inúmeros benefícios para nossa saúde, você sabia que ao pisar descalço na terra ou grama você ativa músculos que ficam atrofiados por causa dos sapatos e estimula terminações nervosas e o sistema imunológico?! Além de tocar em pontos de reflexologia, que ficam na parte inferior dos pés!

As pequenezas cotidianas estão aqui, em todo lugar, cabe a nós, olharmos para o básico com olhos mais atentos e o coração aberto, quem sabe isso não é tudo que a sua alma precisa? Redescobrir as delícias escondidas em meio aos conflitos. Isso não tem preço!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Bruna Stamato
Carioca, criada na Bahia, quase paulistana e atualmente moradora de Porto Seguro-BA. Mãe de duas garotinhas lindas, geminiana, ascendente em Câncer e uma eterna sonhadora. Quando me perguntam, sempre brinco com as pessoas, dizendo que eu não sou escritora, apenas passo para o papel o que a minha alma dita. Por tanto, o mérito é dela! Sou aficionada pelas palavras, desde que me entendo por gente, quer dizer, na verdade, até hoje não me entendo direito por gente, mas amo as palavras desde que as conheci e que elas começaram a fazer sentido pra mim.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here