Às vezes tenho vontade de conversar com alguém.

Contar minhas loucuras, divagações, sonhos. Tenho vontade de dividir esse tanto que há em mim. Então penso que ninguém irá entender. Que minhas loucuras são só minhas, e que é ilusão achar que alguém irá ouvir, ou que sequer se interessa pelo o que tenho a dizer.

Que minha imaginação voa longe, não é novidade para ninguém. Que sinto demais, até por pessoas e momentos quem ainda não aconteceram, também todos sabem. O que não sabem é que dentro de mim há um redemoinho, um furacão, um tsunami, ou qualquer outra analogia que queira usar, que pede para sair a todo momento. Gritar, cantar, dançar, é uma vida que contém vidas inteiras.

Porque sou muitas. Sou uma profusão de mim. E cada uma delas tem seu dia, seu momento. Porém, às vezes todas querem sair juntas. Daí vira uma confusão. De alegria, tristeza, ansiedade, pressa e paz.

É, tem dias que tenho vontade de conversar com alguém.

Então, converso comigo mesma. Coloco tudo na papel e deixo que ele ouça. Ele é o melhor ouvinte.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Carolina Cavalcanti Pedrosa
"Curitibana, com o coração no mundo. Adoro escrever, ler, um bom filme e passar o tempo com minha família e amigos. Gosto de colecionar momentos. Vejo a vida com olhos de poesia, e transformo tudo em palavras. Encontro nelas meu refúgio e minha forma de espalhar amor e luz no mundo. Que elas possam deixar seu dia mais feliz e seu coração mais leve. Vem comigo?"

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here