Se você quer viver de uma maneira equilibrada, tem que ver a vida de uma maneira equilibrada. Dizer isso é fácil, aplicar que é complicado, especialmente porque somos especialistas criando tempestades em um copo de água. Portanto, em mais de uma ocasião, deixamos que as pessoas que não merecem um lugar significativo em nossas vidas acabem se tornando um problema.

Quando você transforma alguém em seu problema, você dá a essa pessoa muito poder

Há pessoas que tentam nos enganar e tornar nossa vida um pouco mais difícil. Elas podem fazê-lo através de chantagem emocional, decepção ou até mesmo arrogância intelectual. No entanto, toda vez que deixamos um parceiro mal-intencionado, um ex-parceiro ressentido, ou um mau amigo se tornarem nosso problema, estamos caindo em sua teia de aranha e nos tornamos sua vítima.

Não podemos controlar suas ações, mas podemos controlar nossa reação. Em vez de tornar essas pessoas uma parte significativa de nossas vidas, podemos conscientemente decidir que não permitiremos que danifiquem nosso equilíbrio emocional com suas atitudes. Lembre-se de que somente aquilo a que você dá poder pode prejudicá-lo, o que considera significativo o suficiente para fazer ressonância dentro de você.

Uma estratégia relativamente simples para impedir que pessoas mal-intencionadas se tornem um problema que tira nossa paz interior é mudar nossa perspectiva sobre o que realmente é um problema.

A palavra problema é composta do prefixo πρό (prá), que significa “adiante” e προβάλλω (probállō), que significa “lançar” ou “lançar com força”. Portanto, problemas são situações que nos empurram para além dos nossos limites, o que nos encoraja a deixar a nossa zona de conforto para crescer. A partir dessa perspectiva, cada problema representa uma oportunidade de aprender e se desenvolver como pessoas. Nós apenas temos que ter certeza de escolher os problemas com sabedoria.

É possível escolher os problemas?

Se assumirmos uma atitude reativa à vida e identificarmos problemas com obstáculos, vendo-os como algo negativo, não temos opções, permanecemos nas mãos do acaso. Então, teremos a tendência de ver muitas das coisas que nos acontecem como problemas e transformar em problemas que as pessoas nem merecem ser.

No entanto, se no lugar de reagirmos, aprendemos a responder e assumimos os problemas como oportunidades de crescimento, podemos começar a descartar muitas coisas que teríamos classificado como problemas com a antiga mentalidade restritiva.

Duke Ellington disse que “os problemas são oportunidades para demonstrar o que é conhecido”, e ele não estava errado.Dado que um problema representa um desafio, podemos entender que muitas das coisas que nos acontecem na vida cotidiana e que nos qualificamos como problemas na realidade não são, representam apenas uma expectativa frustrada.Saber essa diferença nos permitirá dar a cada coisa e pessoa, o lugar que ela merece em nossas vidas, nem mais nem menos.

Não desperdice sua energia emocional com pessoas maliciosas

Se uma pessoa te incomoda, perturba ou irrita você; não faça disso o seu “problema”. Não deixe que isso ocupe muito do seu pensamento ou torne-se um tema recorrente de conversas. Toda vez que você chega em casa e reclama desse insuportável parceiro de trabalho, você está dando a ele uma importância que ele não merece e perde uma oportunidade de fazer outras coisas que são muito mais agradáveis.

Em vez disso, reflita nos botões vermelhos que a pessoa está ativando. Por que isso incomoda, incomoda ou irrita você? Em que área de sua personalidade você precisa trabalhar para evitar que certas atitudes te afetem? Desta forma, você estará transformando o problema em algo que realmente lhe permita crescer e você não desperdiçará inutilmente sua energia emocional.

E por último mas não menos importante, lembre-se de que todos os problemas deixam de existir se não houver solução. Portanto, às vezes é apenas uma questão de deixar ir. Não se apegue ao que não é importante ou que impede que você cresça.

Traduzido por Psicologias do Brasil. Texto original de Rincon Psicologia

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here