A gente vive ouvindo que ser egoísta é uma coisa ruim. Que pensar em si é algo de outro mundo e que sempre devemos nos colocar no lugar do outro. Claro, tudo isso é muito generoso e serve para milhares de bons exemplos mas, quando se tratar das suas felicidades, do seu próprio respeito… Por favor, seja egoísta.

Chega uma certa idade na vida em que a gente tem o dever emocional de correr atrás para equilibrar os nossos sonhos. Uma fase na qual você ganha o direito de chacoalhar a própria vida, com a intenção de separar amizades e relacionamentos que não fazem mais nenhum sentido. O resultado é simples: deixar o coração respirar em paz. Para isso, vale cortar qualquer relação que absorva a sua energia. Se não for um relacionamento acompanhado de soma, o adeus é mais do que bem-vindo, ele é necessário.

E nessa mesma fase em que despertamos sobre as nossas escolhas exteriores, também é legítimo que se trabalhe as interiores. Para isso, seja egoísta. Não é para você destratar alguém ou qualquer coisa parecida. É simplesmente para você ousar na sua chave diária de objetivos.

Tem gente que não vale a pena. Tem situação que não vale a pena. Mas você vale. Você vale caso repare-se e cuide-se. Não é um crime dedicar tempo e sentimento para quem mais importa: você. Vale a pena nutrir uma certa dose de apego próprio. Ouvi dizer que ajuda na cura de expectativas frustradas e na cicatrização de péssimos relacionamentos.

COMPARTILHAR

LIVRO NOVO




Guilherme Moreira Jr
"Cidadão do mundo com raízes no Rio de Janeiro"

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here