Na minha infância, eu era uma criança muito sensível. Uma das minhas primeiras lembranças é de ficar maluca depois de ver uma notícia particularmente ruim no noticiário. Não me lembro de como foi a história, mas lembro de ter corrido para o meu quarto, tapado os ouvidos e inventado uma música sobre como “tudo vai ficar bem”. Eu cantei o mais alto que pude para cobrir o barulho da TV, até que minha mãe entrou, chocada ao me encontrar em um estado tão acelerado.

Não demorou muito até que aprendi que sou uma pessoa altamente sensível (PAS), e então as coisas finalmente fizeram sentido. Pessoas altamente sensíveis processam informações profundamente e, como resultado, experimentam o mundo de forma um pouco diferente de outras. Imagens de violência ou histórias de mágoa podem ser excruciantes para elas. Ruídos altos repentinos, luzes brilhantes e agendas lotadas têm o poder de afetar profundamente as PAS.

Hoje, sou uma escritora que estuda introversão e alta sensibilidade. Descobri que as PAS precisam de coisas um pouco diferentes na vida para serem felizes do que as ‘não PAS’. Aqui estão 14 dessas coisas. Tenha em mente que cada pessoa altamente sensível é um indivíduo, então cada um precisará de coisas ligeiramente diferentes para se desenvolver.

1- Um ritmo de vida mais lento e simples.

Como processam informações profundamente, as PAS podem se mover um pouco mais lentamente que outras pessoas. Elas podem precisar de mais tempo para realizar certas tarefas, como sair de casa pela manhã. Elas podem levar um pouco mais de tempo para tomar decisões, como qual item comprar na mercearia, pois elas estão observando não apenas a montanha de opções, mas também informações nutricionais, preço e como se sentem em relação à sopa de macarrão sabor galinha. De repente, suas mentes vagam para galinhas sendo enfiadas em gaiolas minúsculas e então abatidas…e elas precisam de um tempo para ponderar se podem viver com essa realidade em seu prato do jantar. Tudo isso leva tempo.

2- Tempo para relaxar depois de um dia agitado.

Assim como os introvertidos, as PAS não conseguem ter um ritmo acelerado por muito tempo. Seus sistemas nervosos extrassensíveis absorvem grandes quantidades de informação e as processam até um certo grau. Como resultado, elas podem ficar facilmente sobrecarregadas e desgastadas após um dia atarefado. O tempo para relaxar diminui o nível de estimulação e restaura a sanidade.

3- Um espaço calmo e tranquilo para se retirar.

De preferência, isto está emparelhado com o nº 2. Este espaço, idealmente, teria pouca iluminação, pouco ruído, uma bela estética e as ferramentas favoritas da PAS para relaxar (um livro, música, um travesseiro confortável, etc.).

4- Permissão para se emocionar e chorar bastante.

Não apenas as PAS são mais sensíveis à estimulação ambiental, elas também são sensíveis emocionalmente. De acordo com a Dra. Elaine Aaron, autora de Pessoas Altamente Sensíveis, pessoas sensíveis tendem a chorar mais facilmente do que outras. “Pessoas sensíveis não conseguem deixar de expressar o que estão sentindo”, disse ela ao Huffington Post. “Elas mostram sua raiva, mostram sua felicidade. Reconhecendo que aquilo é realmente importante”.

5- Tempo para se ajustar à mudança.

As transições podem ser difíceis para qualquer um, mas para pessoas altamente sensíveis elas podem rapidamente se transformar em um monte de estresse e sobrecarga. Até mesmo mudanças positivas, como iniciar um novo relacionamento ou mudar para uma casa dos sonhos, podem ser superestimulantes e exigir um período extra de ajuste.

6- Relacionamentos íntimos e significativos.

As PAS desejam conexões profundas com os outros. Na verdade, de acordo com Aron, elas podem ficar entediadas ou inquietas em relacionamentos que não têm interação significativa. No entanto, isso não significa que elas estejam propensas a viver relacionamentos intensamente. Em vez disso, elas podem ter mais dificuldade para iniciar uma conversa significativa com seu parceiro e criar intimidade.

Isso também significa que as PAS tendem a ser seletivas em relação às pessoas que deixam entrar em suas vidas. Um relacionamento de nível superficial, dar e receber, simplesmente não será suficiente. Uma PAS quer mergulhar profundamente em sua alma e se conectar com você de uma maneira profunda. Permita.

Photo by Jeremy Yap on Unsplash

7- Uma maneira gentil e saudável de administrar conflitos.

Sensível ou não, brigar com um ente querido é a pior coisa, mas pessoas sensíveis tendem a se sentir mais ansiosas quando o conflito surge. Muitas vezes ocorre uma batalha interna. A PAS pode ter sentimentos fortes sobre alguma coisa, mas manter isso para si, porque ela não quer deixar a outra pessoa com raiva. Lidar com uma pessoa irritada pode ser excessivamente estimulante.

Além disso, odiamos ferir outras pessoas porque sabemos por experiência pessoal o quanto isso é uma droga. As PAS tendem a ter altos níveis de empatia, e essa é apenas uma das maneiras pelas quais nossos cuidados com os outros aparecem.

Infelizmente, isso significa que pessoas sensíveis muitas vezes escondem suas necessidades e apenas “deixam passar para se darem bem”. Elas precisam de uma maneira saudável de lidar com o desacordo que não envolve gritar ou fazer drama.

8- Uma boa noite de sono.

A falta de sono é suficiente para deixar qualquer um irritado, desleixado e improdutivo. Mas a falta de sono para uma PAS pode tornar a vida quase insuportável. Dormir o suficiente ajuda a aliviar os sentidos acelerados da PAS e permite que ela processe suas emoções. O quanto uma pessoa sensível dorme pode fazer do seu dia um sonho ou um pesadelo.

9- Refeições saudáveis, espaçadas regularmente ao longo do dia.

De acordo com Aron, a fome pode atrapalhar muito o humor ou a concentração de uma pessoa sensível. PAS praticamente definem o que significa ser “faminta e furiosa”.

10- Opções sem cafeína e não alcoólicas.

Surpresa: algumas PAS (mas não todas) são mais sensíveis aos efeitos da cafeína e do álcool.

11- Uma saída para o lado criativo delas.

Muitas pessoas altamente sensíveis têm uma forte necessidade de criar. Elas canalizam suas observações, insights e emoções pungentes em arte, poesia, música e muito mais. Deborah Ward, autora de Overcoming Low Self-Esteem with Mindfulness, escreve: “A sensibilidade pode ser esmagadora, mas também é como ter memória RAM extra no meu disco rígido pessoal… A criatividade é a válvula de pressão para todos os dados emocionais e sensoriais acumulados”.

12- Um forte senso de propósito.

Algumas pessoas parecem passar pela vida sem direção ou propósito. Para PAS, isso é impensável. Em vez disso, elas pensam profundamente sobre as grandes coisas da vida. Quem elas são, por que estão aqui e o que estão fazendo neste planeta? Seja escrevendo um romance, viajando pelo mundo ou liderando o caminho para uma causa em que acreditam, pessoas sensíveis anseiam por significado.

13- Entes queridos que entendem e respeitam sua natureza sensível.

Como a maioria das pessoas não é muito sensível, elas simplesmente não entendem como é ficar muito estressado, digamos, por um barulho assustador, um fim de semana movimentado ou uma cena violenta em um filme. Nem todo mundo vai entender isso, e tudo bem. Mas o que uma PAS precisa é de pelo menos algumas pessoas que realmente entendem sua sensibilidade – de preferência as pessoas mais próximas a ela. Alguém que não só recebe, mas ajuda a protegê-la da superestimulação: “Sim, está tudo bem que saímos da festa agora. Eu posso ver na sua cara que você está superestimulada.” E alguém que vê todos as dádivas maravilhosas que vêm com esse traço raro.

14- Ambiente natural e beleza.

PAS ou não, nosso ambiente nos afeta. Mas para as PAS, a reação é ainda mais profunda. Para elas, a maneira como as coisas parecem importa muito. Ambientes bagunçados, caóticos ou simplesmente feios podem desestabilizá-las. A beleza é um bálsamo que rejuvenesce e suaviza

***

Tradução CONTI outra. Do original 14 Things Highly Sensitive People Need to Be Happy, escrito por Jenn Granneman

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

1 COMENTÁRIO

  1. Fabiola eu amo as suas postagens, sou fisioterapeuta e trabalho em uma ONG que ajudar da suporte para pessoas com necessidades especiais.Tenho lido os seus textos para o grupo e é incrível o modo como elesxse emocionam, gostaria de perguntar se vc gostaria de ofertar um livro seu para eu ler com os meus amiguinhoooo da ONG , desde já agradeço.
    Abraço .

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here