Que esse texto chegue até você que está desgastado, machucado, traumatizado. Que esse texto chegue até você que tem vontade de sair do próprio corpo pra ver se assim a dor passa, que tem vontade de voltar no tempo e fazer diferente, que tenta esquecer e não consegue, que tenta seguir em frente, mas acaba dando alguns bons passos para trás.

Que esse texto chegue até você que teve e tem coragem de ser quem é, de sentir o que sente e não tem vergonha da sinceridade e nem da intensidade. Que esse texto te alcance para que eu possa te dizer: Não se desculpe por ser quem é, não se sinta um “nada” só porque alguém não soube te enxergar, ou não quis te enxergar. Não se sinta pequeno, não se faça pequeno e não se sinta humilhado por ter se entregado por inteiro, por ter se mostrado, por ter tentado, tantas vezes, algo que queria. Eu sei que muita gente não te entende. Mas eu te entendo. E sei que dói.

Dói querer tanto algo/alguém que não nos quer de volta. Eu sei. Que esse texto chegue até você que insistiu, que se desfez em mil pedaços para ver se algum se encaixava na vida de quem você “ama”. Que esse texto chegue e te mostre que você não é trouxa por ter feito isso. E que tudo bem. Mas que esse texto também te mostre que você não precisa disso.

Você fez o que podia na época, com aquela confusão de sentimentos misturados com carência e falta de amor próprio, mas você não precisa mais disso. Você não precisa e nem deve insistir para que o outro fique. Você não pode e nem deve se desfazer em tantas partes por alguém que se te amasse iria querer te ver inteiro. Você pode e precisa ser maior que tudo isso. Você pode e precisa, ao invés de querer sair do próprio corpo, encontrar nele sua própria casa, sua própria segurança, seu próprio porto seguro.

Que esse texto chegue até você e acolha todos os seus sentimentos, bons e ruins, e, te mostre que tudo bem sentir aquilo que a gente sente. Quero dizer, tudo bem sentir angústia, medo, vontade, saudade, felicidade, tristeza, dúvida, mágoa. A questão é: Sentir com sentido. Que esse texto chegue até você que já insistiu tanto nos outros que tem se esquecido de si para que te lembre: Você é incrível. Reencontre-se.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Isabella Gonçalves
Formada em Direito, apaixonada por livros, pessoas e céu cinzento. Escrevo porque gosto e quando quero. Inconstante, dramática, sonhadora. Vejo 100 onde há um. Vejo um onde há 100 vazios. Confiável, confiante, e que siga a vida! Adiante...sempre.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here