Estava ouvindo uma excelente palestra com a professora de Filosofia da Nova Acrópole chamada Lúcia Helena Galvão sobre a temática da VONTADE, e um trecho me chamou bastante a atenção.

Ela contou uma metáfora muito didática para explicar a diferença entre as pessoas com grande força de vontade e as que têm pouca motivação no que fazem.

Ela comparou as pessoas com uma faca que está prestes a ser amolada numa pedra. Essa mesma pedra pode amolar muito bem uma faca, deixando-a afiadíssima e pronta para cortar muitas coisas, ou ela pode desgastar outra faca, deixando-a totalmente inutilizada.

Onde está a diferença entre as facas? Está no material que as compõe. A faca que se torna bem amolada tem um material forte, resistente e de qualidade. A que se desgasta e fica inutilizada tem um material frágil, maleável e de péssima qualidade.

Ela contou essa metáfora para explicar que existem pessoas que passam por experiências muito semelhantes, mas elas reagem de forma absolutamente diferentes. Umas conseguem superar as adversidades com classe, e depois se tornam melhores, mais fortes, resistentes e afiadas para enfrentarem as situações difíceis.

Outras pessoas se deixam ser massacradas pelas adversidades, tornando-se mais frágeis ainda, com medos profundos e incapazes de lidar bem com as adversidades da vida, que todos nós passamos e jamais cessam.

E nessa mesma palestra, por diversas vezes, a Lúcia repete um provérbio famoso que diz: “Onde há uma vontade, há um caminho”.

Quem tem uma vontade forte dentro de si, consegue sempre trilhar um caminho de vitória e superação de limites. Esse caminho é como o corte feito por essa faca bem amolada, que mesmo tocando em algo resistente, consegue cortar com precisão. Não é interessante essa metáfora?

Quem desenvolve essa força de vontade, pode até mesmo contribuir para salvar muitas vidas ou fazer com que multidões se movimentem em direção a algo grande como a independência de um país por exemplo.

Nessa hora, o Mahatma Gandhi é uma das primeiras pessoas que me vem em mente. Ele foi um homem com uma vontade tão avassaladora, que praticamente sozinho, mobilizou os povos da Índia no processo da sua independência. Quase que diariamente eu lembro de uma das suas mais célebres frases: “O amor de um único homem neutraliza o ódio de milhões”.

Esse é o poder da VONTADE, uma força que consegue cortar com sua lâmina afiadíssima até as superfícies mais ásperas e espessas.

Outro exemplo fascinante é a querida Madre Tesesa de Calcutá, que durante toda a sua vida se doou aos pobres na Índia e com uma determinação absolutamente fora do comum, ela conseguia fundos financeiros de diversos lugares para dar continuidade em suas obras de assistência aos mais necessitados.

Se eles fossem como essas facas de material frágil, jamais teriam conquistado tanto, seus nomes não estariam eternizados na história, e milhões de pessoas teriam morrido nas piores condições possíveis.

Quero concluir com outro exemplo extremamente recente. O grupo de jovens jogadores de futebol que ficou preso numa caverna na Tailândia de difícil acesso. O grupo só foi encontrado depois de 9 dias e os últimos jovens só foram resgatados após 17 dias. Foram 12 meninos e o seu treinador. Todos saíram com vida desta caverna!

Contei esse fato para destacar o treinador dos garotos, chamado Ekkapol Chantawong, de apenas 25 anos de idade. Ele é um ex-monge e ensinou a importância da meditação e respiração profunda aos garotos. Se não fosse por ele os acalmando e dando a esperança de saírem vivos da caverna, talvez todos tivessem sucumbido e morrido por inanição.

A respiração profunda e a meditação fez com que todos eles gastassem o mínimo de energia e poupassem o corpo de desgastes maiores.

Veja só que interessante esta comparação! O treinador Ekkapol Chantawong transformou estes meninos de facas frágeis e quebradiças em facas de titânio. O seu exemplo de vida deve ser enaltecido e, se possível, colocado nos livros de história para inspirar as próximas gerações. Sua força de vontade, garra, determinação e esperança são impressionantes, faltam adjetivos para exprimir com precisão a grandeza de seu caráter. Para quem quiser ler um pouco mais sobre ele, compartilho esse brilhante texto cujo link está logo abaixo.

Existem milhares de outros exemplos de pessoas que são como essas facas resistentes, que após amoladas pelos sofrimentos, se tornaram ainda melhores e mais fortes do que já eram. Não explorarei aqui as suas vidas porque senão esse texto se transformaria num catálogo, mas posso citar algumas dessas pessoas: Martin Luther King, Rosa Parks, Walt Disney, Oprah Winfrey, Abraham Lincoln, Nelson Mandela, Irmã Dorothy Stang, Frei Tito etc etc.

Todos eles e muitos outros foram homens e mulheres que deixaram para sempre sua marca e trilharam um caminho a partir de uma vontade forte de contribuírem com o bem do máximo de pessoas…

Que esse breve texto tenha lhe inspirado a crescer nessa vontade genuína. Lembre-se sempre: “Onde há uma vontade, há um caminho”.

****

P.S. Aos interessados, segue o vídeo da Lúcia Helena Galvão no qual ela fala sobre essa metáfora.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Isaias Costa
Bacharel em Física. Mestre em Engenharia Mecânica e Psicanalista clínico. Trabalha como professor de Física e Matemática, mas não deixa de alimentar o seu lado das Humanas estudando a mente humana e seus mistérios, ouvindo seus pacientes e compartilhando conhecimentos em seu blog "Para além do agora", no qual escreve desde 2012.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here