Adorar e amar são dois sentimentos de grande significância, mas não são sinônimos.
Abaixo, você encontrará um trecho do diálogo entre o Pequeno Príncipe e a Rosa. Nele, o principezinho nos explica como devemos entender cada um deles.

– Eu te amo- disse o Pequeno Príncipe.

-Eu também o adoro – disse a Rosa.

-Mas não é a mesma coisa- respondeu o Pequeno Príncipe e continuou – Adorar é tomar posse de algo ou alguém. É esperar que os outros cumpram com as nossas próprias expectativas de afeto ou companhia. Adorar é tornar nosso o que não nos pertence, é tomar posse de algo na esperança de que isso nos preencha, porque em algum ponto, todos nós nos reconhecemos carentes.

Adorar é se apegar ao outro a partir de nossas próprias necessidades. Então, quando não houver reciprocidade acabamos sofrendo. Quando a pessoa que adoramos não nos corresponde, acabamos nos sentindo frustrados e decepcionados.

Se adoro alguém, tenho expectativas e espero alguma coisa dessa pessoa. Quando ela não corresponde da forma esperada, sofro. O problema é que a outra pessoa provavelmente tem motivações diferentes, pois somos todos muito diferentes. Cada ser humano é um universo.

Quando uma pessoa disser que sofreu por amor, na verdade, ela quis dizer que sofreu por “adorar”, não por amar. Ela sofreu por se apegar, pois se realmente tivesse amado, não teria sofrido, pois quando se ama não se espera nada em troca. Quando amamos nos entregamos pelo simples prazer de poder oferecer o nosso amor.

Só podemos amar aquilo que conhecemos. Amar implica em atirar-se em meio ao vazio, confiar a vida e a alma à outra pessoa. E a alma não espera por indenizações. Conhecer é saber aquilo que te faz feliz, aquilo que te traz paz, bem como aquilo que o deixa com raiva, é conhecer as tuas lutas, teus erros e teus medos.

Amar é ter certeza de que aconteça o que acontecer o amor irá permanecer intacto, é estar ali pela pessoa mesmo após as tempestades e os invernos da vida. Amar é achar um lugar no coração para a pessoa amada, para que ela seja a sua melhor amiga, parceira, filha, mãe e irmã ao mesmo tempo. O amor não se esgota, pelo contrário, ele aumenta com o tempo. A maneira de retribuir tanto amor é abrir o próprio coração e desejar ser amado.

-Agora eu entendo o que é o amor – respondeu ela após uma longa pausa.

– É melhor vivê-lo – aconselhou o Pequeno Príncipe.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here