A dor de um término é realmente cruel. Você se perde, não sabe mais quem é você. Então você se vê em um abismo de solidão, dor, angústia. E mesmo a pessoa sendo um(a) escroto(a) com você, você quer voltar… Você quer curar todo machucado à todo custo, mesmo que isso te custe a sua liberdade.

Vejo muitas pessoas se entregando pra dor, com medo dela e de enfrentá-la. Pessoas se submetendo à relacionamentos conturbados, com mais momentos de brigas do que de paz. E essas pessoas não querem sofrer, não querem sentir que vão ficar “só” por um tempo. Mas preste atenção no que eu disse, é só por um tempo.

Toda dor, passa. Pode parecer que não vai ter fim, mas vai! Com o passar do tempo, você vai respirar novamente. Vai sentir que consegue sim viver sem aquela pessoa que você tanto amou. Vai se redescobrir. Quem é você sem o outro? Do que você gosta? Por um tempo, você vai conhecer outras pessoas e pensar: “eu não consigo mais gostar de ninguém”. Mas, calma. Você está se precipitando. Você não precisa achar outra pessoa tão imediatamente, sabe? Você precisa mesmo é de tempo para aprender alinhar sua vida, e curtir sua própria companhia. Não se cobre tanto pra achar um outro amor, deixe acontecer.

Vai levar um tempo pra você esquecer de vez, mas você VAI ESQUECER. Não volte para alguém que tira a sua paz, encontre a paz por si mesmo.

Eu sempre digo que é preciso curtir o “luto”. Mas, como assim? É preciso que você chore, fique triste. É preciso que você saiba o motivo de estar doendo tanto. Porém, o luto precisa de tempo. Você não pode se entregar para o luto do término. É normal ficar triste, tudo bem? Mas renascer é preciso! Se libertar do que sempre te aprisionou, é essencial.

Voltar para o que te humilha não vai diminuir sua dor, vai apenas mascará-la. Por fora, você vai acreditar que está feliz, porque sua dor deu uma amenizada, mas lá dentro você sabe que não está satisfeito, porque o amor já não faz mais bem. Então, não tenha medo da dor, do sofrimento. Encare ela, se dê um tempo para curar as feridas e busque sua identidade.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Déborah Izy
Taurina, cerveja, ler, escrever, barzinhos, cinema, séries, filmes, super heróis, e amante da vida, acredito fielmente no amor. Gerencio a página em meu nome no Facebook: Déborah Izy. Espero que gostem e se identifiquem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here