Há quem diga que a gente pra ser feliz precisa de um grande cargo, uma família de comercial de margarina, uma conta bancária com muitos dígitos, uma casa na praia e duas viagens por ano. Não discordo que isso possa sim ser fonte de alegrias, mas, muito mais que isso, a nossa felicidade depende mesmo é do que a gente tem aqui dentro. Conheço pessoas que tem uma vida impecável, família unida, bom emprego, estabilidade financeira e mesmo assim não são felizes. Andam por ai resmungando, reclamando e nem param pra observar o sol que brilha lá fora. Há pessoas que fazem tempestade em copo d’água e transformam qualquer probleminha num problemão. Há quem perde a paz por pouca coisa e há quem se irrite por uma situação banal. Há quem brigue até com a própria sombra e quem veja defeitos em tudo. Há os que pisam nos demais pra chegar onde querem e esquecem que são seres humanos também. Acredito que quem muito pisa talvez já tenha sido muito pisado e agora usa desse artifício pra se vingar . Ou ainda, pode ser que não tenha sido amado o suficiente pra saber que amor é muito melhor que vingança. Independente das razões, arrisco dizer que quem sofre mais é quem leva a vida “a ferro e fogo”. E a vida é tão curta pra perder tempo com coisas e situações tão pequenas. De repente já é segunda, já é dezembro, já é outono e a vida passou voando e você ficou apenas observando já que ficou ai tentando achar culpados para os seus problemas. Não defendo a ideia de que devemos viver no oba oba todos os dias como se a vida fosse um eterno carnaval, mas que devemos encarar tudo com mais leveza. Se não dá pra mudar a situação, então que a situação nos mude. Você combinou de ir pra praia e amanheceu chovendo: ligue o netflix e faça uma sessão pipoca, filme, brigadeiro e cobertor. Se dedicou de corpo e alma pra alguém e se decepcionou? Aceite que nem tudo depende só de você e que algumas pessoas simplesmente não sabem receber amor. Ensinou seu filho a andar pelo caminho do bem e ele cometeu deslizes? Abrace-o, perdoe e já fique preparado porque com certeza não será o único deslize. Lutou, batalhou, se esforçou e não foi reconhecido como deveria? Continue lutando, talvez você ainda precise aprender mais algumas coisas pra chegar onde quer. Viu seus sonhos desmoronar? Viu seu amor acabar? Viu pessoas queridas partir? Chore, se lamente, se entristeça… Mas não pare ai. O mundo não acabou. Há sempre novos sonhos a serem vividos, novos amores a serem sentidos e novas relações a serem construídas. Se o mundo não vai mudar, mude você. Mais humor, mais leveza, mais perdão, mais alegria, mais delicadeza, mais amor. E a vida vai ficando mais bonita, mas colorida e mais leve. E ai você descobre que o ão do problemão pode virar o ão de vidão, de paixão, de sorrisão e principalmente, de gratidão.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Josielly Pinheiro Westphal
"Psicóloga de vez em sempre, organizada de vez em nunca. Escreve sobre coisas aleatórias e em momentos mais aleatórios ainda. Tem mania de observar tudo ao seu redor, mas tem opinião formada sobre bem poucas coisas. Aprendiz na arte de encerrar ciclos e de se abrir para novas experiências. Acredita em Deus e nas pessoas. Gosta muito do mar, de sol, da família, dos amigos. Corre, malha, faz trilha, come e bebe quando tem vontade. Sensível e durona, teimosa e manhosa: HUMANA.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here