Ela não sabia quantas vezes havia pedido desculpas naquela semana, mas sabia que haviam sido muitas. Ela pediu desculpas a amiga porque não conseguia lhe dar atenção e conversar normalmente com ela. Pediu desculpas ao garoto por quem um dia se apaixonou e que agora não sabia mais como manter uma relação com ele. Pediu desculpas a mãe porque se esquecia de lhe avisar que iria sair e voltar um pouco tarde. E pediu desculpas a Deus porque chegava cansada em casa depois de um dia exaustivo e não tinha ânimo para orar por um minuto sequer. E no começo ela não percebeu, mas com o tempo foi vendo que apesar de pedir perdão as pessoas que feria, isso não mudava o fato dela ter deixado algumas cicatrizes em seus corações e que essas marcas às vezes doíam.

Essa menina tinha dificuldades em manter um relacionamento saudável e duradouro com as pessoas. Ela era do tipo que gostava rápido, se tornava simpática e dava toda a atenção, mas depois de um tempo acabava ficando mais distante, mais fria e não percebendo que negligenciava as pessoas que a rodeavam e que esperavam alguma empatia vinda dela. E ela estava tão acostumada em cometer erros que o seu pedido de desculpas se tornou automático. Ela sabia que errava e logo vinha com um pequeno discurso que revelava seu coração arrependido, então a pessoa que havia sido machucada acabava a perdoando e assim um novo ciclo se iniciava: errar, pedir perdão, ser perdoada, ficar bem e depois errar de novo. Ela não conseguia se desprender desse vício de se descuidar e acabar ignorando as necessidades dos outros, e não dar tanta atenção para quem precisava de um abraço ou palavra amiga que apenas ela poderia dar.

Por isso, quando aquele dia desagradável aconteceu, ela achou que era apenas uma brincadeira. Ela achou que sua amiga não poderia estar falando sério quando disse que iria se afastar, pois estava se ferindo demais com aquela amizade. E logo depois o rapaz que ainda estava gostava muito dela lhe disse que se sentia culpado por vê-la se afastar, mas ele mesmo não havia feito nada de errado e sim ela que não sabia mais lidar com aquela relação. Até mesmo sua família parecia ter desanimado em buscá-la nos cantos escuros que ela se escondia e que ela não dava conta da própria solidão. Assim, a garota que deixava os outros porque não sabia dar amor e atenção a tantas pessoas ao mesmo tempo, acabou se tornando a menina que fora deixada porque as pessoas cansaram de lutar por ela. Cansaram de tentar reatar um laço que eles sabiam que logo depois ela iria romper e não havia um motivo real para isso, ela apenas fazia.

E quando ela menos percebeu, estava encolhida no meio de sua cama, a luz do quarto apagada e as lágrimas banhando o seu travesseiro. Ela estava precisando de alguém e, infelizmente, não havia nenhuma pessoa disponível para acolhê-la, pois no momento que eles precisaram dela, ela não lhes deu nenhum suporte. E naquela altura era a vez dela de sentir um pouco do que eles sentiam e ver através dos olhos deles como era ser deixava sem mais e nem menos. Como era ter a expectativas numa pessoa, amá-la, cuidá-la e perdoá-la quando errasse, mas infelizmente vê que aquela relação não tinha um futuro, pois rodava nos mesmos círculos e não progredia para algo mais maduro. Ela não sabia o quanto havia sido ruim até aquele minuto em que a lágrima caía e logo depois vinha mais outra, mais outra e mais outra, pois ela não conseguia segurar a dor de ter sido rejeitada. Porém, o pior era saber que um dia ela fizera isso com as pessoas que deveria ter amado.

Ela que estava tão focava em seus objetivos, interesses e obrigações, que deixou de lado as pessoas que a amavam e que a queriam por perto. Ela buscou ser excelente onde estava e não tirar os olhos de seu foco, mas enquanto fazia isso se esquecia que a vida não é só os sonhos ou planos que se constrói, pois se buscar apenas por eles irá ficar vazia e sem ninguém para compartilhar suas vitórias. Mas ela sabe que num mundo onde as relações são menos priorizadas por conta da rotina cansativa e a agenda cheia de compromissos, acabou internalizando que era normal agir assim e abandonar um pouco a vida social. Mas isso não é normal e não é certo, porque como seres humanos para o relacionamento não se pode priorizar coisas e abandonar pessoas. E ao se dar conta disso ela se arrependeu do que havia sido e sentiu uma vontade imensa de voltar para atrás para poder consertar tudo.

Mas infelizmente o tempo perdido não pode ser recuperado. Todavia, no meio de sua dor e lamento ela pôde sentir um pouco de paz, e também percebeu que não estava totalmente sozinha, pois ela sabia que havia sido criado por Alguém e que esse Ele nunca a deixaria como os outros fizeram, por mais que ela o tenha desprezado e esquecido também. E foi Ele, Deus, que mostrou que os recomeços continuarão existindo enquanto as pessoas ainda tiveram corações dispostos a perdoar. Assim ela se levantou, lavou o rosto e pegou seu celular, pois estava decidida a recomeçar do zero com cada pessoa que havia machucado. E iria se esforçar para seu pedido de desculpas não ser mais uma frase vazia e que logo perdesse a validade, mas se esforçaria para fazer valer a pena a nova chance que ela esperaria obter de quem um dia a amou tão puramente, mas que ela não soube valorizar naquela época. Ela reconheceu que uma vida sem amor é apenas um modo vazio de sobrevivência que ela não deseja experimentar.

Imagem de capa: GoodStudio, Shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Tatielle Katluryn
Nessa existência já há 20 anos, com sangue Maranhense e coração pertencente ao céu. Sou cristã e estudante, apaixonada por livros do séc. XIX e Astronomia. Escrevo desde os 13 anos, mas nunca imaginei que a escrita faria parte da minha vida e hoje não passo um dia afastada das palavras. Mas nada disso é mérito meu, pois Deus me chamou para falar aquilo que Ele quer dizer as pessoas, para levar a paz a corações como o meu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here