A pessoa que adoece emocionalmente normalmente carrega consigo mais do que a doença que atrapalha sua rotina, desregula seu humor e influencia em seus relacionamentos e sonhos. Os sintomas podem ser tão graves que chegam a incapacitação da pessoa nos casos mais graves.

Quem adoece também tem que lidar com a dificuldade de explicar para quem não está doente sobre tudo aquilo que passa dentro de si…sobre e o quanto tudo aquilo dói, mesmo parecendo invisível. 

Para quem nunca sentiu algo assim, por mais que se esforce, pode ser difícil compreender que alguém possa ter a sensação de sufocamento ou mesmo o coração acelerado e quase desmaiar por motivos que, para quem está bem, seriam bobos e irrelevantes (eu falo um pouso disso nesse texto)

A fotógrafa Katie Joy Crawford, sabendo da complexidade dessa tradução entre o que se passa internamente e o olhar do outro, realizou um ensaio fotográfico para traduzir os sentimentos daqueles que sofrem através de imagens, como ela mesma descreve abaixo:

“Através deste trabalho, eu estou interpretando visualmente minha própria jornada emocional e física para que os outros possam ser capazes de compreender esse peso que tantos carregam em nossa sociedade. Os sintomas físicos da doença, tais como coração acelerado, tonturas e falta de ar, muitas vezes passam despercebidos ou são mal interpretado por aqueles que nunca sofreram de ansiedade. Embora os sintomas físicos constituam uma grande parte da desordem, o lado emocional é extremamente difícil de lidar. A ansiedade impede que o doente assuma novos riscos, explore novas ideias e saia de sua zona de conforto. Ela garante que ele nunca vai estar sozinho. Ela vai encontra-lo mesmo em momentos de alegria ou sozinho em sua mente. Ela é calma e firme, lembrando de seus fracassos passados e fabricando seus resultados futuros.

Katie Joy Crawford sabe que ninguém é ansioso porque quer e por isso fez um trabalho educacional onde mostra o que as pessoas poderiam ver se olhassem para dor de quem sofre além de sua aparência inicial…

Fiquem como as imagens:

Sobre não ter um minuto de paz e estar sempre acompanhada…

Sobre se sentir como se estivesse sufocando:

Sobre estar preso dentro de sua própria cabeça:

Sobre sentir o corpo trincando de tanta ansiedade…

Sobre o sentimento de ter a mente enjaulada e não encontrar saídas…

Sobre o sentimento de impotência e paralisia…

Sobre sentir-se preso em sua vida e cada vez com menos tempo:

Sobre o peso de uma vida sem prazer e que tem seus momentos de leveza perdidos…

Sobre a tentativa de controlar-se e a perda do controle..

Sobre a oscilação desgastante entre a depressão e a ansiedade:

Você sofre com ansiedade e gostaria que as pessoas compreendessem os seus sentimentos, passe essa mensagem adiante.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




Josie Conti
É idealizadora, administradora e responsável editorial do site CONTI outra e de suas redes sociais. Psicóloga com 19 anos de experiência, teve sua trajetória profissional passando por diversas áreas de atuação como educação, clínica (consultório, grupos pré-cirurgia bariátrica e de reeducação alimentar, acompanhamento de pacientes idosos e acamados em projeto da UNIMED), além de recursos humanos e saúde do trabalhador. Teve um programa diário, o CONTI oura, na rádio 94.7 FM de Socorro. Atualmente realiza vídeos, palestras, cursos, entrevistas, e escreve para diversos canais digitais. Sua empresa ainda faz a gestão de sites como A Soma de Todos os Afetos e Psicologias do Brasil. Possui mais de 11 milhões de usuários fidelizados entre seguidores diretos e seguidores dos sites clientes. Também realiza atendimentos psicológicos online.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here