Como construir um amor duradouro entre casal?

Quase todos buscamos uma pessoa que se encaixe perfeitamente com a gente para começar uma história de amor duradoura, que perdure no tempo. No entanto, e como bem sabemos, o assunto é mais complicado do que parece.

Estabelecer relações sentimentais duradouras não é algo simples. Com a nossa capacidade de fazer isso se misturam experiências e aspectos emocionais, físicos e psicológicos tão complexos que poucas vezes conseguimos controlar.

Ainda que pensemos que se trata de uma questão de sorte, de destino ou das pessoas que cruzam nosso caminho, a realidade é que tudo começa dentro nós mesmos.

Algumas chaves para conseguir o amor duradouro

Cuidar da nossa autoestima

Alguns psicólogos acreditam que, quando precisamos muito ter uma relação que dure muito tempo, provavelmente estamos na presença de um problema de baixa autoestima.

Se buscamos desesperadamente a alguém seguro e que goste de nós, talvez o problema esteja em nós mesmos.

Nesses casos, o melhor é esclarecer o panorama e nos perguntar o que é que realmente precisamos antes de tomar decisões apressadas. Se enfrentarmos uma situação de baixa autoestima, então não estamos preparados para uma relação saudável.

Pelo contrário, as pessoas que têm autoestima não estão pensando o tempo todo em encontrar alguém. Não precisam de uma pessoa que esteja ao seu lado a todo momento.

Não idealizar o amor

A forma como vemos o amor pode ser outro inconveniente para encontrá-lo. Existem muitas ideias preconcebidas, preconceitos e aprendizagens culturais erradas sobre o que uma relação em casal deve ser.

“Encontrar o príncipe azul”, “casar e viver feliz para sempre” e o clássico “se você me ama, não olhará para ninguém mais” são apenas algumas expressões que evidenciam o problema. O pior é quando fundamentamos nossa vida emocional nesses mitos.

Lamentavelmente, em muitos casos, as coisas não funcionam assim. Cada pessoa tem uma perspectiva afetiva única e diferente. Além disso, a dinâmica das relações interpessoais é muito mais complexa do que um conto de fadas.

O parceiro não é um objeto

A combinação entre a baixa autoestima e paixão quase sempre culmina em ciúmes. Há quem tende a pensar que uma relação séria implica na aceitação de todos os caprichos e isso é completamente falso.

– Na realidade, a construção de um casal não implica em uma situação de posse, porque nenhum ser humano é uma propriedade.

– Inclusive ainda quando se está em uma relação, cada sujeito é um ser livre, autônomo e com direito de tomar suas próprias decisões.

Os ciúmes descontrolados já terminaram mais relacionamentos do que o que se pode imaginar. O amor duradouro tem a ver com a criação de consensos e negociações onde cada parte se sente livre, respeitada e querida.

Assumir a crise

O amor duradouro tem várias etapas e isso significa que nem tudo será perfeito.

A atração sexual, a paixão e a materialização do parceiro como um elemento que define nossas ações são apenas um resumo de tudo o que ocorre entre os seres humanos que se comprometem.

Se perguntarmos a quem conseguiu ter relações longas, essa pessoa confirmará que as crises são uma parte importante de cada relação, porque a forjam.

Manter-se unidos depois delas faz com que o vínculo seja cada vez mais forte.

No entanto, para isso, as soluções não podem estar baseadas no que apenas uma dos envolvidos quer. Antes de nos focarmos no que queremos da nossa “cara metade”, devemos nos perguntar “O que eu posso fazer para que tudo melhore”.

O amor duradouro é o que se alimenta

É fácil se entregar e se apaixonar no começo de uma relação por sermos influenciados pelos estados hormonais intensos e ilusões renovadas que alimentam nosso espírito.

No entanto, o difícil é fazer com que isso continue com o passar dos anos.

As relações duradouras são aquelas nas quais o carinho é alimentado ao longo dos anos. Jamais podemos dar por terminadas as carícias, os elogios, a compreensão e o resto das demonstrações afetivas.

Fazê-lo deveria ser um prazer, e também uma disciplina. Outra forma de alimentar o carinho é aprender a se colocar no lugar do outro e evitar as brigas desnecessárias, substituindo o conflito pela negociação ativa.

Ninguém disse que seria fácil

Poder se dar bem com uma pessoa para se ter uma relação de casamento ou de namoro duradoura não é nada simples. O que se busca é entender-se em um conjunto de questões vitais: psicológicas, emocionais, espirituais, morais, sexuais e sociais.

Isso não significa que seja impossível e há muitas possibilidades quando fazemos nosso melhor esforço ao lado de um candidato com o qual temos afinidades importantes.

Depois disso, o trabalho será compreender as diferenças e seguir construindo.

Fonte indicada: Melhor com Saúde

Imagem de capa: Michael Traitov, Shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here