7 maneiras de criar uma vida de onde você não precise escapar

As pessoas estão viciadas em fugas e escapismos e a realidade está se tornando a ficção da atualidade.

A correria e o excesso de afazeres nos engole vorazmente e, enquanto ficamos cada vez mais irritadiços e sem paciência, gradativamente nossos níveis de estresse e adrenalina sobem e alternam a fisiologia do nossos organismo.

Pesquisas indicam que os grandes centros urbanos são os locais onde as pessoas mais adoecem mentalmente. Paralelamente a isso acompanhamos um movimento crescente de pessoas que buscam alternativas de vida mais consciente e equilibrada, visando uma melhor qualidade de vida.

Abaixo, listei 7 maneiras de criar uma vida de onde você não precise escapar

1- Entenda por que e para que você compra cada coisa que compra.

ALÍVIO DA ANSIEDADE e COMPENSAÇÃO de frustrações têm sido dois dos principais motivos que observo em pessoas que se excedem nas compra.

Enquanto, por um lado, a publicidade estimula o consumo, por outro, a pessoa entende que sempre deve ser premiada com objetos para minimizar o seu mal estar cotidiano. Logo, esses prêmios chegam porque a pessoa trabalhou muito e acha que merece um presente, porque ela está cansada e quer se alegrar com algo novo ou mesmo porque se sente só e carente e encontra alívio momentâneo no momento das compras. Não haveria problema se as consequências do consumismo desenfreado, além de destruir as reservas naturais do planeta, não destruíssem todas as reservas financeiras da pessoa que torna-se escrava do consumo, das compras, dívidas e pagamentos entrando em um ciclo vicioso do qual, muitas vezes, mesmo sendo bem-sucedida profissionalmente e ganhando bem, não consegue sair.

2- Preste atenção no que você come e por que come

A obesidade não para de aumentar. Experimente assistir a um filme ou mesmo reportagem da década de 70 e observe como as pessoas eram magras.

Aqui, também, dois fatores parecem ser grandes protagonistas desse desequilíbrio, por um lado temos uma oferta de alimentos rápidos, hipercalóricos e de valor mais acessível. Do outro lado, temos pessoas com pressa, mais ansiosas e que buscam compensação do mal estar na ingestão da alimentos. Afinal, comer dá prazer. O problema é usar a comida para alcançar um prazer que falta em outras esferas da vida e, depois, ter problemas com o peso, pressão arterial, colesterol e tantas outras coisas porque buscou o alimento para preencher outros vazios. A mesma lógica vale para o quanto você bebe.

3- Preste atenção nos compromissos que você assume

Ok, eu sei que você precisa trabalhar muito para se sustentar. Mas volte ao primeiro item e reavalie se o tanto que você trabalha é para manter as contas realmente necessárias ou para pagar pelo excesso de coisas que você compra para compensar frustrações. Outra coisa importante com relação aos compromissos é que nem sempre uma pessoa ocupada é uma pessoa produtiva e manter-se em movimento pode ser uma estratégia para não parar e pensar no que realmente é importante.

4- Preste atenção nas pessoas com que você passa seu tempo

Você passa a maior parte do seu tempo com pessoas que você gosta ou com pessoas que você acha que deve manter contato? Lembre-se que nós influenciamos quem está ao nossos lado, mas também somos influenciados por essas pessoas. Logo, ter qualidade de relacionamentos é um ingrediente fundamental para uma vida de onde você não sinta vontade de fugir.

 

5- Preste atenção no tempo que você passa na internet

Todo excesso indica uma falta! As redes sociais são maravilhosas, mas devem ser usadas como tal: redes que conectam pessoas e não ilhas de isolamento.

6- Preste atenção no tempo que guarda para si

Nem a pessoa mais caridosa do mundo está em equilíbrio se não guardar um pouco de tempo para si mesma. Nós só podemos cuidar dos outros se cuidamos de nós mesmos. Até a dedicação exagerada aos outros pode ser um sinal de descompensação.

7- Preste atenção na sua respiração.

Por fim, eu sugiro que você preste atenção a sua respiração. Você acha que ela é leve e tranquila ou que você passa o dia a bocejar, sentindo-se cansado e desmotivado? A respiração curta também pode ser sinal de ansiedade e o excesso de suspiros, então, um indicativo de que seus sonhos estão em qualquer outro lugar.

Se sua autoconsciência aumentar, você tende a usar menos escapismos. Se usar menos escapismos cavará menos poços de autoengano para si mesmo e terá mais lucidez sobre as coisas que gosta e que não gosta, sobre seus momentos de felicidade e tristeza. Sobre como é comprar por necessidade ou prazer, e sobre o que é comprar para esquecer que a vida está uma droga.

E, lembrem-se principalmente de que, se você não foi responsável por precisar de escapismos para sobreviver em um mundo doente, agora que você sabe o que está errado, a sua responsabilidade é sair dele.

Imagens:  Pikoso.kz/shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Josie Conti
É idealizadora e administradora do site CONTI outra. Psicóloga formada há 16 anos, teve sua trajetória profissional passando por diversas áreas de formação e atuação como educação, clínica, recursos humanos e saúde do trabalhador. Hoje, utiliza o conhecimento adquirido para seleção de pessoal e de material adequado aos sites com que trabalha. Realiza vídeos, palestras, entrevistas, tem um programa diário na rádio 94.7 FM de Socorro e escreve para diversos canais digitais. Sua empresa ainda faz a gestão de sites como A Soma de Todos os Afetos e Psicologias do Brasil. Atualmente possui mais de 10 milhões de usuários fidelizados entre seus seguidores diretos e seguidores dos sites clientes. Em 2017, foi convidada para falar sobre conteúdo de qualidade no evento “Afiliados Brasil” de São Paulo, à convite da Uol, pois o CONTI outra foi considerado um dos melhores sites de conteúdo ligados a empresa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here