Quando você gosta de alguém, o ideal é que seja recíproco. Infelizmente, nem sempre isso acontece. Tem gente que pega e distorce o muito que sentimos. Fazem dessa nossa liberdade para sentir um jogo de quem se permite mais. Não tem nada de errado com sentir muito. Triste é quem enxerga essa facilidade de transbordar como um defeito. Ah, esse povo que não é ciente dos próprios sentimentos.

Você não é trouxa por experimentar os amores que sente. É o oposto, você é coragem em um mundo dominado pelo tanto faz. Insistir nos encontros que fazem pouco da sua história e das dores e alegrias que carrega, é deixar que pisem nos caminhos já percorreu. Ninguém merece companhias que não saibam respeitar as emoções do coração. Porque o valor dado de você para si é o primeiro mandamento do amor próprio.

Você é poesia, magia e furacão. Há vários de você no mesmo corpo e é injusto ter que caçar inteiros que entendam, reconheçam e abriguem um bom senso de empatia. Esquentar a cabeça e desfazer sorrisos em prol de quem vive contando afetos não paga felicidades. Não vale a pena quem ignora os muitos sentimentos do outro. De gente assim, a alma está cansada de dividir instantes.

Que venha para somar. Que fique para querer e ser lar. Simples amor. Daquele que acalma, empurra para cima e é parceria nas entregas. Os desapegos onde você termina no chão, lamentando e preenchendo o peito de dúvidas – sério, não é lugar para você.

Não deixe abusarem do muito que você sente. Não sucateie ou acomode-se quando o assunto for os seus sentimentos. A vida passa rápido pra gente fingir que não liga, que não sonha, que não é trato feito por dois. Deixe o amor livre, mas fique de olho em quem só oferece pouco.

Imagem de capa: Kaponia Aliaksei, Shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




Guilherme Moreira Jr
"Cidadão do mundo com raízes no Rio de Janeiro"

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here