Te vi ontem na rua, mas não parei pra falar contigo ou perguntar como foi o teu dia. Pelo jeito do qual você sorria, eu sabia que tudo estava bem contigo. Até gostaria de ter te ajudado, carregando as tuas sacolas pesadas, mas você parecia lidar bem com todas elas. Tuas dores pareciam ter se esvaído junto com as tuas tristezas quando você esbanjava um sorriso gigantesco. Notei que você mudou o corte do cabelo e as tuas roupas pareciam mais coloridas também. Eu nunca havia visto você sorrir imensamente feliz daquele jeito. Você seguiu em frente e eu queria tanto fazer o mesmo.

Mas te ver ontem na rua fez com que meu estômago embrulhasse e um calafrio tomasse conta do meu peito. Você parecia ter o mundo em suas mãos e eu não parecia fazer mais parte dele. Meu coração gritava em todos os tons pelo simples abraço dos teus braços, mas a razão parecia gritar mais alto ainda dizendo que não sou mais morador do teu peito e, pra falar a verdade, eu nunca soube quem escutar. Cheguei a me aproximar a alguns metros do teu corpo, esperando com que você se virasse em minha direção e me falasse que sentia tanto a minha falta como eu sinto a tua. Mas, infelizmente, você apenas seguiu em frente. Queria tanto fazer o mesmo.

Te vi ontem na rua e senti um aperto enorme no peito. Talvez, a gente nunca mais vá se tocar daqui pra frente. Então, naquele exato momento em que você dobrava a esquina eu sussurrava baixinho pra mim – fica, por favor. Eu sinto tanto a falta do que eu era quando tinha você por perto. Eu sinto falta do “nós” que criamos com tanto amor e carinho. Eu sinto muito. Sinto muito a tua falta. Sinto muito por ter lhe magoado partindo quando o que eu mais queria era ficar. Mas acabei percebendo que mesmo partindo, eu havia deixado o meu coração em casa.

Eu queria ter dito tantas palavras bonitas quando te vi, queria ter falado o quanto sentir a tua falta, ter contado sobre os meus dias tristes e cansados sem o brilho dos teus olhos ao meu lado. Mas eu nunca havia lhe visto sorrir daquela maneira, livre de tuas dores ou de qualquer tristeza aparente.

E linda, eu jamais tiraria isso de você.

Boa sorte por aí.

O mundo continua sendo teu, como sempre foi.

Imagem de capa: Carlos Gomez Martinez, Shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Arkab
Apaixonado pela poesia feminina. Acredito fielmente que o amor seja o infinito que resolveu morar no detalhe das palavras. Muito prazer, eu me chamo Arkab , e escrevo com o único intuito de pôr palavras onde a tua dor se faz insuportável.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here