Talvez você esteja fazendo vista grossa para coisas realmente importantes. Saiba mais.

Para que exista uma relação são necessárias duas pessoas. Agora, para que a relação seja saudável é preciso que essas pessoas entreguem muito mais de si do que apenas a sua presença física.

Abaixo, listo algumas reflexões sobre comportamentos que observei ao longo dos anos- na vida e na clínica- e que podem servir como sinal de alerta para relações que perderam sua a sua essência.A boa notícia é que o primeiro passo para qualquer mudança é identificar que existe um problema. Apenas quando sabemos que existe algo errado é que conseguimos buscar ajuda e mudanças.

Boa leitura!

Josie Conti

1- Não existe mais um vínculo afetivo entre as partes. 

Para que exista uma relação deverá existir uma troca. Ela pode acontecer por amizade mútua, interesse romântico, parentesco ou até mesmo por uma proximidade física que leve a convivência. Entretanto, é bom lembrar que nem sempre os vínculos que mantém pessoas juntas são vínculos saudáveis. Logo, o primeiro mandamento determina que o vínculo que sustenta uma relação saudável seja afetivo, ou seja, que exista algum tipo de afeto verdadeiro entre as partes. Manter relações por objetivos terceiros como questões financeiras ou criação de filhos, por exemplo, não são alicerces firmes e podem desmoronar a qualquer momento.

2- Não é porque existe um vínculo que há permissão para as pessoas se tratarem de forma agressiva e desmedida.

Tendemos a ser condescendentes com as pessoas que gostamos e, ao fazê-lo, podemos ignorar, mascarar e até inventar desculpas para comportamentos grosseiros, depreciativos ou dominadores. É importante ter a clareza de que qualquer pessoa pode errar, mas a frequência de comportamentos que levem a constrangimento, intimidação ou que entristeçam qualquer uma das partes, é indicativo de que a relação pode não estar tão bem quanto você pensava.

3- Vocês não riem mais juntos

Risadas são um grande termômetro de que a relação vai bem. Elas indicam leveza e descontração entre as partes. Se o clima está sempre tenso, é sinal de que algo está errado. Mais um alerta vermelho.

4- Se você não se sente à vontade para ser quem você é perto do seu parceiro ou parceira, amigo ou colega, isso é um indicativo de que há algo errado.

É básico em nossas relações mais íntimas que nós nos sintamos confortáveis para sermos quem realmente somos. Se nossa maneira de rir, falar, vestir ou mesmo de conversar com terceiros gera discussões frequentes, isso é um indicativo de que existe um desequilíbrio de poder na relação- um dos sintomas das relações tóxicas.

5- Nunca, jamais, se esqueça de que a violência psicológica é muito mais frequente que a violência física. Entretanto, ela não é menos danosa.

O item 2 já mencionou a violência psicológica, mas é importante deixar clara a sua representação dentro dos relacionamentos, pois ela acontece por longos períodos de tempo e, por isso, mina a autoestima. Logo, a pessoa que é vítima dela sofre de maneira progressiva e continua. Esse item retoma o assunto para ressaltar que a violência física é inaceitável, mas é a violência psicológica a que mais destrói, pois é menos aparente e muito subvalorizada dentro da relação. Se você percebe que ela acontece, esteja alerta.

6- Os limites não são respeitados

Quando uma pessoa não quer dois não fazem, certo? Nem sempre. O problema do desrespeito aos limites das partes é que isso gera um desrespeito aos valores pessoais de quem se sente invadido. O alerta deve acontecer quando você percebe que se sujeitar ao que o outro quis gerou um sofrimento com relação as suas crenças primárias e que são o norte das coisas em que você acredita. Se o que está acontecendo, de alguma forma, te ofende. É hora de realmente parar.

7- Você sempre está insatisfeito (a) perto da pessoa

É só encontrar a outra pessoa e as partes começam a se alfinetar e a se desentender. Não existe interesse em flexibilidade, pois cultivar o equilíbrio entre os gostos e vontades das partes deixou de ser relevante. Quando isso acontece, a coexistência torna-se dolorosa. Parece  que a relação é mantida por um braço de ferro constante e isso é sinal de que é hora de mudar. O oposto disso, mas não menos relevante, acontece quando a presença da outra parte passa a ser irrelevante.

8- As pessoas não admitem suas fraquezas

Demonstrar vulnerabilidade é um dos grandes sinais de que você confia na outra parte e se sente protegido (a) e seguro (a) perto dela. Se existe uma necessidade constante de autoafimação isso é um indicativo de que a entrega não é genuína e pode ser um sinal de alerta.

9- A pessoa que está ao seu lado é incapaz de sentir empatia pelos seus sentimentos.

Quando nos relacionamos esperamos que a outra parte tenha simpatia por nossos sentimentos. Não é necessário que as partes concordem com tudo (isso seria impossível), mas demonstrar empatia com o ponto de vista e sentimento do outro mostra maturidade emocional e respeito: principais ingredientes das relações saudáveis.

10- Vocês sempre estão brigando, terminando e voltando em seguida.

Um ciclo vicioso de términos e voltas pode indicar uma relação adoecida. É preciso analisar se o que mantém esse círculo é realmente afeto ou se são sentimentos como carência, dependência afetiva ou mesmo uma retroalimentação de uma relação abusiva.

Se você se identificou com alguns dos itens mencionados acima, lembre-se de que você sempre pode procurar e aceitar ajuda. Converse com pessoas da sua confiança ou busque orientação psicológica. Também não se esqueça de que não é vergonha estar em sofrimento. Nesse momento muitas outras pessoas estão passando por isso. O importante é saber que é possível mudar.

Imagem de capa: Iakov Filimonov, Shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Josie Conti
É idealizadora e administradora do site CONTI outra. Psicóloga formada há 16 anos, teve sua trajetória profissional passando por diversas áreas de formação e atuação como educação, clínica, recursos humanos e saúde do trabalhador. Hoje, utiliza o conhecimento adquirido para seleção de pessoal e de material adequado aos sites com que trabalha. Realiza vídeos, palestras, entrevistas, tem um programa diário na rádio 94.7 FM de Socorro e escreve para diversos canais digitais. Sua empresa ainda faz a gestão de sites como A Soma de Todos os Afetos e Psicologias do Brasil. Atualmente possui mais de 10 milhões de usuários fidelizados entre seus seguidores diretos e seguidores dos sites clientes. Em 2017, foi convidada para falar sobre conteúdo de qualidade no evento “Afiliados Brasil” de São Paulo, à convite da Uol, pois o CONTI outra foi considerado um dos melhores sites de conteúdo ligados a empresa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here