Ninguém é obrigado a gostar da gente, e está tudo bem!

Cada um transborda o que tem dentro de si. Sentimento não é programado. Ele simplesmente nasce.
Se você gosta de alguém, e não é correspondido, está tudo bem.

Entenda que o defeito não está em você, muito menos na pessoa pela qual se apaixonou. É tudo questão de sintonia.
Pare de achar que você não merece ser amado. Se não aconteceu, não era para ser. Um dia alguém vai amá-lo (a) do jeitinho que você é.

Sabe aquela sua mania esquisita? Será pequena perto do sentimento que a pessoa certa terá por você. Aqueles defeitinhos serão fúteis perto da imensidão de possibilidades que o amor poderá lhe proporcionar.
Quando a pessoa certa chegar, você saberá.

Ela fará de tudo para estar ao seu lado. Não existirão desculpas. Não haverá dúvidas. Apenas certezas. Ela o (a) quer, e pronto. Simples assim.

Quando ela chegar, ela o (a) fará sorrir. Mostrará que o passado não impede ninguém de viver um presente feliz. E quem sabe, um futuro.

Quando ela chegar, os machucados serão cicatrizados. As lembranças ruins, esquecidas. O abraço será aconchego. O beijo será com urgência. As mãos serão entrelaçadas. As almas serão envolvidas. E o coração virará morada.
Quando a pessoa certa chegar, o “eu te amo” terá significado. Significará que ela estará ao seu lado enquanto estiverem juntos. Você será cuidado, respeitado e, principalmente, valorizado.

Quando ela chegar, você saberá.

Ela deixará claro em cada toque. Cada gesto será único. Os olhos dela dirão, sem a necessidade das palavras saírem.
Quando ela chegar, os obstáculos serão pequenos perto do amor.

Cada caminho percorrido, valerá a pena. Vocês lutarão juntos. Você se entregar. E ela também.

Porque se tem uma coisa que o amor faz, é nos mostrar que pedra nenhuma é capaz de destruir algo genuíno. Quando ela chegar, você saberá.

Imagem de capa: Jurij Krupiak, Shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Larissa Dias
Estudante de jornalismo, radialista por amor, escritora nas horas vagas. Adora dar boas risadas, costuma passar os domingos de pijama assistindo filmes e séries. Apesar de não curtir baladas, é incapaz de recusar uma rodinha de violão, e para pra cantar junto. Mesmo desafinada, garante que é simplicidade em pessoa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here