Lembro que nunca gostei muito daquela banda que você adora e mesmo assim passei noites seguidas ouvindo as músicas, analisando cada letra e batida, porque queria sempre ter o que conversar. Nunca fui muito fã de comida japonesa. Porém, cada vez que você me convidava eu ia sem reclamar e ainda tentava comer com palitinhos para te impressionar.

Sempre odiei falar ao telefone e mesmo assim, em todo momento que meu celular tocava eu atendia correndo e passava horas, trocando o aparelho de mão para não cansar. Durante toda a minha vida eu tive costume de dormir cedo. Contudo, durante meses vi o dia amanhecendo com você do outro lado da tela do computador.

Eu deixei de lado minhas preferências e me concentrei apenas no que eu sabia que ia te interessar. Soltei meu rotineiro rabo de cavalo e deixei que meu cabelo caísse sobre os meus ombros, bem do jeito que você achava bom. Frequentei bares, mesmo não gostando do ambiente. Viajei para praia, ainda que eu preferisse o campo. Assisti incontáveis filmes, embora eu gostasse muito mais de acompanhar séries.

Larguei o livro de romance que estava lendo e comecei aquele de suspense que você tanto queria conversar sobre. Eu saí do meu casulo. Eu abri espaço para você entrar. Contei sobre mim, mesmo odiando ser o foco do assunto. Acordei de madrugada para contar de um pesadelo e ouvi, calmamente, todos os seus. Te abracei. Te olhei dormir. Te esperei acordar.

E ainda, mesmo depois de tudo isso, você ainda tem a coragem de falar que eu nunca soube dizer eu te amo.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




Najara Gomes
"Paulista. Pisciana. 21 anos de excesso de sentimentos. Nada como um gole de café e uma dose de drama pra passar o dia. Meu bem, eu exagero até nas vírgulas."

1 COMENTÁRIO

  1. É assim mesmo…. nem sempre somos valorizados por atitudes, nem sempre somos reconhecidos.
    Mas não perca a esperança, um dia quem sabe entra na sua vida alguem que realmente te valorize.
    Abraços

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here