O carnaval passou, mas chegando à quarta feira de cinzas, meu menino ainda tinha as mãos tingidas de purpurina dourada por ter encostado num carro alegórico. “Parece ouro!” dizia, enquanto esfregava as mãos debaixo da pia. Com isso me lembrei da expressão: “Nem tudo que reluz é ouro”, e seu significado: nem tudo o que parece ser, realmente é. Nem todas as previsões meteorológicas dão certo, do mesmo modo que pequenos arbustos crescem por entre calçadas de cimento, desafiando as leis da agricultura e mostrando que podem resistir apesar das intempéries do solo, nos lembrando que nem sempre o solo seco é o solo infértil.

Nem tudo o que parece ser, realmente é, e até que se prove o contrário você tem grandes chances de ser feliz seguindo aquela sua intuição que diz para ir por este caminho ao invés daquele que todo mundo está tomando. Pode dar certo mesmo contrariando a maioria, mesmo destoando do caminho pintado de ouro, mesmo desafiando as regras da coerência e do bom senso.

Nem tudo que reluz é ouro, e basear o que é certo pra você no que é certo para o seu vizinho ou para aquela menina popular do Instagram não faz sentido, justamente porque não há garantias de que qualquer vida pode ser melhor seguindo esta ou aquela cartilha.

Nem todo carnaval foi melhor que o seu, e mesmo que haja mais purpurina na rede social daquele seu amigo descolado, isso não significa que ele encontrou mais alegria na sua alegoria do que você.

Possibilidades existem pra todos, e não dá para julgar um livro somente pela capa, nem gostar mais de um vestido só porque ele custa mais caro. E antes que eu me esqueça, é bom lembrar algumas verdades: nem todo cabelo liso é fácil de lidar, nem todo gordinho é feliz, e cada pessoa enfrenta suas próprias batalhas diárias.

Mesmo que não pareça, cada dia é um novo desafio para qualquer um, e você não pode olhar para os lados e viver de suposições. Muito daquilo que é considerado impossível pode ser contrariado, e se a gente não tentar _ nem que seja para provar a si mesmo que não tem medo de ser feliz _ a gente não descobre que poderia ter dado certo. Nem tudo que reluz é ouro, e nem tudo que parece impossível realmente é.

Então se hoje você tem a possibilidade de tentar algo novo mas tem muito medo também, lembre-se que você pode estar se julgando muito menor do que realmente é. Tente, enfrente, desafie-se. A maioria das pessoas que consegue brilhar feito ouro arriscou perder o medo de tentar.

Brilhe você também!

Imagem: Via Tumblr

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Fabíola Simões
Escritora mineira de hábitos simples, é colecionadora de diários, álbuns de fotografia e cartas escritas à mão. Tem memória seletiva, adora dedicatórias em livros, curte marchinhas de carnaval antigas e lamenta não ter tido chance de ir a um show de Renato Russo. Casada há dezessete anos e mãe de um menino que está crescendo rápido demais, Fabíola gosta de café sem açúcar, doce de leite com queijo e livros com frases que merecem ser sublinhadas. “Anos incríveis” está entre suas séries preferidas, e acredita que mais vale uma toalha de mesa repleta de manchas após uma noite feliz do que guardanapos imaculadamente alvejados guardados no fundo de uma gaveta.

14 COMENTÁRIOS

  1. Vivo tentando… Quero a minha felicidade mesmo que ela não seja nada do que as pessoas imaginam como certo ou normal!!! Amo seus textos enestou apaixonada pelo livro!!! Obrigada por nos dar o privilégio de compartilhar conosco essas lindezas que adoçam a alma!!!

  2. Bom dia gosto de ler textos que tem conteúdo,que traz até a mim um lenitivo .É meu momento mágico,ao deliciar de textos que vem de encontro com meus dias meio nebulosos, me incentivando no meu continuar, e ter o prazer imensurável de seus textos. Obrigado.

  3. É… o verdadeiro valor das coisas esta na essência com que elas são formadas… Compreender o âmago é como, Erik Erikson, já dizia “O fato da consciência humana permanecer parcialmente infantil por toda a vida é o âmago da tragédia humana.” Adoro lê-la, pois compreender as coisas afaga a alma.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here