Título Original: A disponibilidade do amor

Talvez o amor o encontre imaturo, lutando por um lugar no mundo, buscando seus projetos profissionais, seu reconhecimento como homem, seu crescimento financeiro. Diante do mundo que começa florescer, como dar conta da vida que irrompe, invadindo a madrugada e os dias, com suas cólicas, necessidades de amparo, afeto e proteção?

O amor de um pai pode não estar disponível, permanecendo anos e vidas em modo de espera, aguardando a diminuição do compasso para enfim florescer de verdade. Mas filhos não são presentes à espera da noite de Natal. Filhos crescem independente da disposição para o amor. E enquanto a vida se desenrola, um hiato de incertezas se consolida.

Pode ser que o amor se torne disponível tarde da noite, quando as festas de aniversário e comemorações da escola não passem de fotos amarelas no porta retrato da sala. E você perceba que esteve distraído enquanto conduzia o carro a caminho do ballet; desatento, quando seu pequeno o desenhava maior que o mundo e pouco a pouco descobria que você já não era tão grande assim; estressado com tempo e dinheiro enquanto a bola rolava sozinha no quintal.

Crianças não esperam a disponibilidade e disposição para o amor.

Adultos, podem encontrar disponível aquele amor que tanto careciam ; e nunca será tarde demais para recomeçar _ ainda que de trás pra frente…

Segue o trailer do filme “Estão todos bem”, com Robert de Niro.
Aos filhos e pais crescidos, fica a dica para assistirem ao filme e se inspirar!
Ao meu pai, meu amor…sempre!

                                                                  FELIZ DIA DOS PAIS!!!

Para adquirir o livro “A Soma de Todos os Afetos”, de Fabíola Simões, clique aqui: “Livro A Soma de todos os Afetos”

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Fabíola Simões
Escritora mineira de hábitos simples, é colecionadora de diários, álbuns de fotografia e cartas escritas à mão. Tem memória seletiva, adora dedicatórias em livros, curte marchinhas de carnaval antigas e lamenta não ter tido chance de ir a um show de Renato Russo. Casada há dezessete anos e mãe de um menino que está crescendo rápido demais, Fabíola gosta de café sem açúcar, doce de leite com queijo e livros com frases que merecem ser sublinhadas. “Anos incríveis” está entre suas séries preferidas, e acredita que mais vale uma toalha de mesa repleta de manchas após uma noite feliz do que guardanapos imaculadamente alvejados guardados no fundo de uma gaveta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here