Nada é mais libertador que deixar de gostar de quem te faz mal

Um dia acordei e já não doía. O sentimento que estava lá até o dia anterior, já tinha sumido quando abri os olhos no dia seguinte. O que me deixava de cabeça baixa, me soltou para que eu pudesse caminhar de cabeça erguida.

É assim que o tempo funciona, quando menos se espera, a chama se apaga. Claro que não tem nada de bonito quando um sentimento morre, mas às vezes é necessário que isto aconteça.

Traição, humilhação, ser ignorada ou desvalorizada são coisas que ninguém gostaria de passar. Infelizmente, às vezes a pessoa que você gosta adquiriu um poder que lhe permite te tratar desta forma. Porém, como sempre dizem, não há mal que dure cem anos, mas pode demorar.

Esquecer um sentimento é um processo longo e de várias etapas, requer muito esforço e perseverança; deixar de stalkear a pessoa, citá-la menos vezes nas conversas com as amigas, ver menos o álbum de fotos e, se há insistência da parte dele, evitar encontrá-lo o máximo possível.

Assim, aos poucos a vontade de ver a pessoa vai enfraquecendo, a curiosidade por saber com quem está e onde passou o final de semana diminui. Quando se luta para deixar o passado no seu lugar, portas se abrem no presente para que pessoas cheguem e criem novas prioridades na sua vida.

Há aqueles que só conseguem deixar de gostar de uma pessoa quando começam a gostar de outra, mas eu chamo de liberdade quem consegue ficar um bom tempo sem gostar de alguém. Sendo do seu próprio universo, namorando consigo e deixando o mundo de lado por um tempo.

Nada é mais encantador do que ser dono de si mesmo. Poder ouvir, ler e pensar sobre o outro sem que isso te afete. Poder ignorar sem remorso e deixar para depois o chamado porque não está afim.

Saber que é possível superar um sentimento tão profundo, te torna uma pessoa forte. Deixar o passado no seu lugar, não apenas fisicamente, mas emocionalmente é uma proeza que só é possível adquirir com sofrimento, coragem e tempo, mas vale a pena.

Nada é mais libertador que saber que o mundo não acaba quando deixamos de gostar de alguém.

E que este mesmo mundo pode ser melhor e mais bonito assim.

Imagem de capa: Breslavtsev Oleg, Shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




“Acredito que todo dia é uma nova oportunidade para aprender algo novo sobre o que sentimos e sobre quem somos. Compartilho todos os meus pensamentos sobre relacionamentos em textos. Gosto de café, mas tenho gastrite. Gosto de gatos, mas tenho alergia. Não gosto de dormir, mas tenho o sono profundo…e o coração leve.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here