Estar nu vai além de estar sem roupa

Por Isabela Nicastro – Sem Travas na Língua

Olha só, eu não vou mandar nudes. Não que eu considere errado ou muito menos condene quem envie, eu, simplesmente, não quero mandar. Não me sinto à vontade para tal e não vou. Essa nova onda do “manda nudes”, ao meu ver, é um tanto arbitrária e coercitiva. Se você não se sente à vontade para mandar, é careta. Se você manda, é fácil demais. Os julgamentos surgem a partir da sua posição diante do envio ou não de fotos seminuas. Superficial demais, não?

A intimidade começa a ser baseada no fato de trocar nudes através das redes sociais. A partir daí, você pode definir em que tipo de relacionamento se encontra. Além disso, a confiança parece ser moeda de troca e também barganha para um machismo sutil. “Manda que eu mando também”. “Ah, mas você não confia em mim?” Sinto lhes dizer, mas a confiança vai muito além de uma troca de fotos. É impossível reconhecer características que você considera essenciais em um relacionamento a partir de superfícies do corpo do outro.

Aí você irá me dizer, mas ninguém pede nudes para conhecer, a não ser fisicamente, a outra pessoa. Sim, talvez não mesmo. Porém, acredito que a energia entre dois corpos jamais pode ser transferida online. As pessoas enviam nudes, mas na realidade, não se conhecem. Não permitem que energias sejam trocadas, pois estão preocupadas com as caretas sensuais e as poses diante de uma câmera.

É claro que o papel do corpo em um relacionamento é essencial. Esse texto, de forma alguma, é um boicote à exibição do corpo. No entanto, a gente precisa ver, tocar e sentir para que, então, haja uma troca de fato. É preciso muito mais que um nude para que uma intimidade se estabeleça. O olho no olho, o toque das mãos, o cheiro do pescoço e o calor de um abraço são fatores muito mais importantes em qualquer tipo de relação. Definitivamente, eu não quero apenas ver, quero sentir.

O desejo não depende de mandar nudes ou não. Pode até complementar, se você se sente bem para isso, mas jamais deve ser a origem. Os nudes, de forma alguma, devem ser uma obrigação ou uma condição para que a confiança se estabeleça. Ela deve surgir, sobretudo, pelo respeito. E impor a alguém o “manda nudes” pode lhe causar tudo, menos respeito.

Lembre-se: estar nu vai muito além de estar sem roupa.

Imagem de capa: theendup, Shutterstock

Fonte indicada: Sem Travas na Língua

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Isabela Nicastro

Capricorniana, 23 anos, jornalista. Apaixonada por mar, cães e cafés da tarde em família. Não dispenso bacon e muito menos uma boa história. Meu coração é intenso e grita mais do que a razão. Tenho o sentimento como guia e a escrita como ferramenta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here