A ansiedade é uma criança assustada que acredita em grandes monstros

A ansiedade é uma criança assustada que acredita em grandes monstros. Que olha o armário e não enxerga nele roupas, mas a possibilidade de que algo saia de lá e a engula.

O calor do mundo a assusta. Ela acha que o sol pode queimá-la dolorosamente, em um caminho letal e sem volta. Ninguém contou a ela que o mesmo sol que queima é aquele que também dá a vida.

A ansiedade é uma criança que vive em nós, a chorar o vazio de perguntas sem respostas. A ansiedade é uma criança sozinha, desprendida da mãe, que desconhece o próprio pai. É uma criança interior que se vestiu de susto. É uma criança órfã e há no mundo tantas crianças órfãs a habitarem adultos, tantas quanto podemos imaginar. Crianças sedentas por provarem o mundo, mas encharcadas pelo suor de um pavor desconcertante.

A ansiedade é uma criança que estende suas frágeis mãos em busca de uma razão que alimente o melhor nela. Ela quer uma palavra que lhe dê forças para enxergar o que vem depois do medo. Ela é uma criança que precisa saber o que acontece depois que o lobo foge, depois que a bruxa aparece, depois que as estrelas caem.

A ansiedade é uma criança interior que pede trêmula que a abracemos. Pede por nosso carinho e aceitação. Pede que vivamos a vida para lhe darmos as respostas que só a experiência pode dar.

A ansiedade quer ter certezas para deixar de ser criança. Ela quer crescer, quer experimentar, mas precisa do adulto para ensiná-la a felicidade no acerto e a superação no erro.

A ansiedade não sabe, mas quer saber. A ansiedade quer se transformar em algo que não seja susto e desespero. Ela quer ser segurança, quer ser calma e paz. Essa criança interior quer desesperadamente viver o mundo.

Ela depende unicamente de você para conhecer o erro, o acerto e a superação. Para saber sobre finais e recomeços. Para entender que não é o fim.

Não é o fim.

Acompanhe a autora no Facebook pela sua comunidade Vanelli Doratioto – Alcova Moderna.

Atribuição da imagem: pexels.com – CC0 Public Domain.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Vanelli Doratioto
Vanelli Doratioto é uma escritora paulista, amante de museus, livros e pinturas que se deixa encantar facilmente pelo que há de mais genuíno nas pessoas. Ela acredita que as palavras são mágicas, que através delas pode trazer pessoas, conceitos e lugares para bem pertinho do coração.

1 COMENTÁRIO

  1. Sempre fiz essa analogia para tentar explicar como seria a ansiedade pois ainda há pessoas que confundem ansiedade com afobação ou algo assim.
    A ansiedade é aquela criança que sonha em ter 18 anos pra fazer o que quiser. Mas não sabe nem como agir nos próximos 10 minutos.
    Espera ansiosamente o Natal, sem saber que ainda terá de passar pelo Carnaval, Páscoa, Dia das crianças…
    É uma criança que quer ter coragem pra ontem, mas vai eixar pra amanhã pois hoje está muito assustada pra isso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here