Muitas pessoas preferem não enxergar os sinais que antecedem uma decepção amorosa.

As decepções amorosas, em sua maioria, são permitidas ou até mesmo buscadas por suas vítimas.

Nos contextos relacionais, as pessoas estão o tempo todo mostrando como são e como estão, o problema é que os apaixonados ignoram todos os sinais possíveis que possam configurar como desapontamentos sobre o que elas idealizam a respeito da pessoa amada.

Parece haver uma recusa em ler e interpretar os sinais emitidos pelo parceiro provavelmente pela possibilidade de alguma constatação que seja prejudicial à imagem dele.

Partindo do princípio de que, quem procura acha, muitas pessoas optam por não fazer nenhuma investigação acerca do outro, bem como atribuem sempre uma justificativa a qualquer fato negativo que apareça relacionado ao parceiro.

É o famoso medo da verdade. Há casos em que são evidenciadas coisas graves sobre a conduta do(a) namorado(a), porém, a pessoa nutre a crença de que o mesmo mudará e será diferente com ela.

Creio que todo mundo conhece alguém que se relaciona ou se relacionou com uma pessoa cujo passado amoroso foi totalmente reprovável, onde essa pessoa enganou, mentiu, feriu, traiu etc. e que acredita piamente que a postura dessa pessoa será totalmente diferente na relação atual.

Por mais dissimulada que uma pessoa seja, ela não será capaz de representar um papel por muito tempo, uma hora ou outra máscara há de cair. É muito simples, toda pessoa tem um passado que fala por ela, o que não significa que ela tenha que ser uma eterna refém dos seus erros. As pessoas mudam, se arrependem, aprendem, repensam a própria história, tudo isso pode acontecer, porém, essa mudança não acontece com todas as pessoas, poucas passam por esse processo de transformação, outras, terão atitudes reprováveis a vida inteira.

Diante disso não podemos ser tão ingênuos ao ponto de contar com uma transformação de alguém que talvez nem considere como inadequada forma de se comportar diante de algumas questões.

A gente nunca perde por analisar bem a conduta da pessoa com a qual estamos nos relacionando. Existem casos em que a família e os amigos da pessoa percebem o relacionamento como perigoso para a pessoa e a advertem, porém, esta ignora todos os conselhos e ainda vê nessas pessoas uma suposta intenção de prejudicar o seu relacionamento por pura maldade.

Há um ditado popular que afirma que “o pior cego é aquele que não quer enxergar”. É fato que, muitos dos nossos percalços teriam sido evitados se tivéssemos prestado mais atenção aos sinais do comportamento que o outro emitiu, mas optamos por fazer cara de paisagem.

Imagem de capa: Andrii Sapsai, Shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Ivonete Rosa
Sou uma mulher apaixonada por tudo o que seja relacionado ao universo da literatura, poesia e psicologia. Escrevo por qualquer motivo: amor, tristeza, entusiasmo, tédio etc. A escrita é minha porta voz mais fiel.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here