Não era para ser assim, era para ser você

É mesmo muito estranho pensar sobre o tempo, né? As coisas são tão relativas. O relógio corre diferente para cada um de nós e é impossível sincronizar os ponteiros. Não entendeu? Eu explico: O que, para mim, foram décadas, para você podem ter sido velozes minutos. A eternidade que você viveu pode não ter passado de um minuto de tormenta na minha história. Pode ser uma coisa ou outra. Não dá pra saber, entende? Eu queria, mas não dá. Agora mesmo, nesse milésimo de segundo, seu silêncio me corrói as entranhas e até me faz sangrar e você permanece aí, com o semblante impassível. É, eu esperava mais de você. Na verdade, eu esperei que você passasse e você permaneceu aqui, habitando meu peito que sufoca sem ar. Você continua povoando meus pensamentos mais escusos e secretos. Você é dono das minhas mais bonitas fantasias e dos meus mais belos sonhos. Ainda é você.

Nada mudou pra você? A vida segue seu curso assim, simplesmente? Suas palavras cravam em mim um punhal afiado e a carne ainda nem havia cicatrizado. Não. Eu não tô decepcionada, mas é doloroso saber que nada mudou na rotina que pertencia aos meus dias. Não tem muito o que organizar por aí, eu entendo, mas aqui o caos se instalou. Está tudo do avesso sem você e eu não sei por onde começar essa organização toda. Não sem você.

Não diga que a porta está aberta para mim. Por impulso eu sou capaz de aparecer mesmo e não sei se você vai gostar. Você nunca tocou minha campainha, mesmo tendo a chave da minha vida, não posso te impor meu “toc toc”. Talvez seja melhor não forçar a você, que segue, uma visita ao passado. Calma, não estou lhe cobrando nada, apenas confirmando que tudo que foi dito naquela noite faz sentido pra você mesmo que não faça, nenhum, para mim.

Não era para ser assim, não era para ser sem você. É, estou mesmo sendo dramática, eu sei, mas é inevitável. Eu sinto e não posso mais esconder tudo que vem afogando minhas palavras. Você sempre extraiu o melhor de mim e quando foi embora levou com você. Trate de me devolver logo. O que sobrou aqui foram restos de alguém que um dia viveu o amor e eu quero – e preciso – ser mais do que isso.

Foi penoso saber que você se tornou tão singular quando eu ainda sou plural.

Imagem de capa: I Water, Shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Monika Jordão
Atriz, escritora e paulistana. Acredita que o papel reflete mais do que o espelho. Apaixonada por livros, futebol, tequila, café e Coca-Cola. Buscando sempre o equilíbrio emocional e os amores inesquecíveis.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here