Ei, já se deu conta que o amanhã pode não chegar?!

Sabe quando tudo perde o sentido e ficamos sem direção?! Quando a mente fervilha tantas coisas que mal conseguimos acompanhar o ritmo dela?! Já houve dias em que foi preciso sair e encarar o mundo com um sorriso no rosto, quando, na verdade, por dentro estava sangrando, não é mesmo? Já engoliu o choro que veio na hora e no lugar em que não podia deixá-lo sair e, quando pôde, não conseguiu? Bom, com certeza, em alguns destes questionamentos sua resposta será sim, pois essas coisas fazem parte da vida. Não temos como fugir delas. Mais cedo ou mais tarde elas irão bater à nossa porta, e precisamos estar preparados para lidarmos com elas. Mas, não é tão fácil quanto parece.

Certas coisas que acontecem nos tiram dos eixos, nos deixam à margem de nós mesmos. Ficamos apáticos e indiferentes a tudo que se passa ao nosso redor. Talvez, seja um mecanismo de defesa tentando aliviar um pouco da dor que lateja tanto por dentro. Talvez, seja mais fácil congelar alguns sentimentos do que deixá-los arder dentro do peito sufocando nossa alma. Lidar com a dor é uma das coisas mais difíceis que iremos fazer enquanto vivermos. Cada um do seu jeito, no seu tempo, da maneira que achar melhor. Porém, fingir que não houve nada e suprimir o que está doendo não resolve nada. Muito pelo contrário, uma hora, toda essa dor acumulada vai querer sair de qualquer maneira, mesmo contra nossa vontade. E, acredite, pode demorar, mais ela vai sair.

Por isso, é sempre bom procurar encarar e enfrentar aquilo que nos aflige, que tira nossa sono, rouba nossa paz e nos mata aos poucos. É preciso saber recomeçar mesmo quando não aceitamos o fim. É necessário seguir em frente ainda que pedaços fiquem para trás. Enxergar a luz no fim do túnel sabendo que ela tem que existir, primeiramente, dentro de nós. Aprender a dar a volta por cima é lição que sempre estará em nosso caderninho de tarefas e, toda vez que ela chegar, devemos nos empenhar em fazer da melhor forma possível. Caso contrário, correremos o sério risco de sermos reprovados pela vida, e não há tristeza maior do que isso. Todo aluno se alegra quando se forma, porque o diploma é prêmio daqueles que sabem tudo o que passaram até chegarem até ali, e que não foi fácil.

Na vida, é da mesma forma. A única diferença é que nela seremos aprendizes para sempre. Há todo momento uma nova lição, uma oportunidade de aprendermos, de sermos melhores do que fomos ontem. O primeiro passo é se matricular na escola do viver e começar a engatinhar, aos poucos, e sem pressa. No início, tropeçaremos, levaremos alguns tombos e teremos alguns machucados; talvez, surjam até pequenas cicatrizes. Mas, faz parte do processo de aprendizagem. E, com o tempo, ganharemos a fabulosa habilidade de ressurgimos das cinzas. A arte de se reinventar e de nascer de novo é o maior presente que a vida tem para nos dar, e ela dá. Entretanto, a questão é, estamos prontos para receber? É a pergunta que não quer calar.

Quando tudo estiver perdido, feche os olhos e respire profundamente. Lembre-se que a cada respiração é uma chance de tentar de novo. Não perca tempo, está esperando o quê? Amanhã pode ser tarde demais…

Imagem de capa: NapaTalay, Shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Rachel dos Santos

Paulistana, porém mineira de coração. Viciada em música e sorvete, adora filosofar no facebook e compor canções que guarda a sete chaves. Estudante de jornalismo , pretende construir um mundo mais bonito por meio de seus escritos. Acredita que a simplicidade é a chave que abre a porta da felicidade. Sempre usa reticências no final das frases porque sente que sempre há um pouco mais a se dizer…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here