Não podemos obrigar ninguém a ficar

Não podemos obrigar ninguém a ficar, mas se pudéssemos, talvez o faríamos. Chantagens emocionais, promessas ou qualquer tipo de desespero psicológico para que não nos abandonem. Muitos o fazem, por medo do que vem depois. O abandono tem gosto de ressaca.

Se fosse possível, congelaríamos o tempo no momento em que aquela pessoa abriu a porta para sair, como um homem olhando às estrelas pela última vez, igual uma criança escondendo o seu brinquedo favorito na sua festa de aniversário para que ninguém o veja.

E ficaria ali, apenas para enxergá-la, até que a despedida fosse aceita pelo coração, mesmo que este momento nunca chegasse.

Mas não é possível aprisionar um coração. É importante deixar a porta destrancada caso alguém queira sair, o amor precisa ser livre. Não existe nada pior que ficar pelos motivos errados. É triste estar com alguém e não sentir amor quando olhamos dentro dos seus olhos.

Por isso a única coisa que se pode fazer quando gostamos de uma pessoa é abraçá-la.

E continuar abraçando, sempre que peça. E prometer ficar na tempestade.

E proteger a criança que existe dentro dela, para que nunca sinta medo do universo.

E espantar os seus demônios internos, como um cata-vento que afasta as nuvens, para que ela possa dormir tranquilamente em dias de temporal.

E rir das piadas dela para que se sinta engraçada.

O que se pode fazer é levá-la para ver o pôr-do-sol para que veja um mundo bonito, e escrever uma carta a mão com palavras que rimem, mesmo que você não entenda muito dessas coisas, apenas para demonstrar que ela importa e quando alguém importa existe esforço.

E encontrar as circunstâncias que lhe fazem rir para que sinta a vida mais leve, mesmo que o nome das circunstâncias sejam cócegas ou memes.

E ser o satélite do seu planeta, como um jardineiro cuidando de uma flor, com a admiração de um pintor olhando para o seu próprio quadro. E segurar a sua mão firme nas ruas, para que o mundo entenda que ali é o seu lugar. E dizer: Eu te quero sem reticências e de todas as formas.

O que se pode fazer é querê-la bonito todos os dias e torcer que isto seja suficiente.

Que o amor lhe baste.

Imagem de capa: Jurij Krupiak, Shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS





"Acredito que todo dia é uma nova oportunidade para aprender algo novo sobre o que sentimos e sobre quem somos. Compartilho todos os meus pensamentos sobre relacionamentos em textos. Gosto de café, mas tenho gastrite. Gosto de gatos, mas tenho alergia. Não gosto de dormir, mas tenho o sono profundo...e o coração leve."

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here