Quando disserem “você não vai conseguir”, responda “observe como eu faço”

Imagem de capa: May_Chanikran, Shutterstock

Você é uma pessoa única e valiosa pelo simples fato de ser humana, mas às vezes se esquece disso. Assim como todo mundo. Nos empenhamos muitas vezes em acreditar que as opiniões alheias, os julgamentos ou as premonições dos outros são as verdadeiras realidades, e costumamos compará-las e torná-las nossas. Isto acontece porque pensamos que os outros valem mais do que nós, e portanto, o que disserem deve ser verdadeiro e aceito sem discussão.

Quando esta forma de procurar a aprovação do nosso entorno é transformada em hábito, reforçamos constantemente a nossa baixa autoestima. Isto acontece porque não nos permitimos tentar levar uma vida onde os nossos próprios desejos e valores tenham um peso relevante.

Precisamos que os outros nos deem o visto de aprovação para quase tudo que empreendemos, queremos ou sonhamos. Além disso, se essa aprovação não acontece, ficamos bloqueados e deixamos de viver a vida que realmente queremos ter. A autoestima, que cada vez se torna menor, fica estancada e às custas do mundo exterior nos aplaudir ou nos reconhecer. Se não for assim, costumamos pensar que é melhor abandonar o que desejamos porque são “bobeiras”, e então a nossa vida se torna acinzentada.

Você não vai conseguir

O que esta frase significa exatamente? Quando alguém diz a nós “você não vai conseguir”, está tentando dizer que nossas capacidades não são adequadas para o que pretendemos realizar, que não cabemos ou que temos muitas limitações para administrar. Mas a pergunta é: como ela pode saber disso se eu não tentei ainda?

Algumas pessoas pensam que as experiências passadas determinam o que acontecerá se hoje eu estiver em uma situação parecida. Em parte, é assim como funciona a intuição e é verdade que às vezes funciona, mas nem sempre. Às vezes essa intuição nasce de um pensamento irreal: a pessoa de ontem não é a mesma que a de hoje, e nem mesmo a de amanhã.

Brincar de adivinhação não é uma boa estratégia para viver de forma livre, e muito menos acreditar nas conjecturas dos outros. Se a frase “você não vai conseguir” se transforma em uma desculpa para não realizar o que desejamos, então estaremos dando a razão a essa pessoa que pensa de forma tão negativa sobre nós. Se você não tentar, estará confirmando que não conseguiu.

Mas no fundo você sabe que tem as qualidades, a capacidade e a vontade. O problema é que a necessidade de aprovação o trava e faz você sentir que se não o incentivarem de fora, não poderá alcançar o que quer. É neste ponto que você deve trocar o chip e usar os seus ouvidos: um como via de entrada e o outro como via de saída.

A partir de hoje, você pode sim. Você vai deixar de dar tanto peso às opiniões externas, mesmo respeitando-as e, em alguns casos, procurando-as porque se sente desorientado. Contudo, a direção das grandes estradas da sua vida serão decididas por você: você é o único que vai realmente vivê-la.

Observe como eu faço

A segurança em nossas próprias capacidades faz parte da própria eficácia: uma variável com influência em todas as nossas ações e que está muito condicionada ao que pensamos de nós mesmos. Um pensamento que, por sua vez, engloba um montão de pensamentos mais específicos e que estão relacionados ao poder de atuação que temos nos diferentes campos de nossas vidas.

Os pensamentos realistas sobre nós mesmos alimentam a emoção de segurança e confiança na nossa própria pessoa. Por sua vez, as ações que realizamos têm a faculdade de reforçar esses pensamentos.

Ao mover qualquer uma dessas engrenagens, o resto irá se mover também. Portanto, um bom jeito de ganhar confiança para viver, fazer ou desfazer, livres de avaliações externas, é colocar em prática a assertividade: essa capacidade de se autoafirmar independentemente do próprio entorno, mas sempre respeitando-o.

É tão grata a sensação que a assertividade deixa em nós que não praticá-la implica uma perda de tempo, tanto se você age de forma agressiva com o mundo, quanto se você diz “sim” para tudo, e obedece a tudo o que os outros dizem sem questionar. Nos dois sentidos, autoestima e autoeficácia brilham pela sua ausência.

Por isso, quando qualquer pessoa do seu entorno – e quando digo qualquer também me refiro a pessoas importantes, como companheiro, mãe, pai, irmão… – disser que você não é capaz, que você nunca vai conseguir ou que você deveria descer do espaço e colocar os pés na terra, faça um favor a si mesmo de não se chatear, mas também de não adotar o seu jeito de pensar.

Faça um grande favor a si mesmo de responder: “Observe como eu faço. Vou tentar fazer isso com todas as minhas forças. Pode dar certo ou não, isso eu ainda não sei, e muito menos você. Não importa se vai dar certo ou não, se vou conseguir ou não, o importante é que não vou ficar com a vontade de ter tentado, e além disso vou tentar aproveitar tudo o que for possível no caminho ao longo dessa meta. Se a derrota aparecer, a aceitarei; se o triunfo se erguer no meu caminho, irei saboreá-lo. Mas nunca deixarei de tentar realizar os meus sonhos”.

Fonte indicada: A Mente é Maravilhosa

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here